Velejador mais velhos da Olimpíada, Santiago Lange conquistou, nesta terça-feira, o ouro inédito para a Argentina na vela. O atleta de 54 anos venceu, com sua dupla, Cecilia Carranza, a disputa na classe Nacra 17, a única mista da competição. Foi a estreia da classe no programa olímpico.

A prata ficou com o barco da Austrália e o bronze, com o conjunto da Áustria.

É a sexta participação de Santiago em Olimpíadas. Ele tem outras duas medalhas de bronze, conquistadas em Atenas-2004 e Pequim-2008, na classe Tornado, em parceira com Carlos Espínola. No Rio, Lange teve o privilégio de ver seus dois filhos, Yago e Klaus, estrearem nos Jogos. Eles forma a dupla argentina na classe 49er.

Antes da final, Santiago já havia comemorado a decisão de ter se mudado para o Rio desde novembro do ano passado para treinar. Focado em seu objetivo, ele faz novos planos:

– Eu ainda tenho um sonho. Se eu sentir que tenho um bom projeto e com chances de velejar bem, eu quero ir a Tóquio. Eu vou tentar. Enquanto eu puder fazer isso e meu corpo permitir, eu vou continuar velejando.