RIO – O trenzinho do Brasil atropelou a Rússia, mesmo em jogo disputado, que terminou na madrugada desta segunda-feira. A seleção de Zé Roberto venceu o tradicional rival por 3 a 0 (25/23, 25/21 e 25/21), mantendo a invencibilidade na Olimpíada e a ponta no grupo A.
Ao contrário dos jogadores do masculino, as atletas do feminino esbanjaram confiança. Sheilla estava impossível, fez 18 pontos (42,31% de eficiência). O bloqueio e o saque do Brasil funcionaram muito bem, assim como a defesa. Léia faz ótima competição. E Natália bate um bolão (14 pontos). Goncharova foi a que mais marcou (19 pontos).

– Estou muito feliz de estar bem nesse momento e pode ajudar a equipe. É só o que eu quero, ajudar em todos os fundamentos. Não vai faltar raça nem vontade – disse Natália, após mais um show na quadra do Maracanãzinho. – E agora vem a China! Time asiático, chato de jogar, mexe para lá e para cá, uma mistura entre Coreia e Japão, num nível maior, com grandes atacantes do outro lado. Agora é outro campeonato, zera tudo e independentemente do lugar que classificamos temos de ir com força total.

Com o resultado, o Brasil terminou em primeiro do grupo e joga as quartas de final contra a China, que ficou em quarto lugar da chave B, às 22h15m nesta terça-feira. Os Estados Unidos, que também venceram todos os jogos e ficaram em primeiro do grupo B, jogam com o Japão (4º da chave A), às 14h. Brasil e EUA só se enfrentarão em uma eventual final.

Os outros confrontos foram decididos por sorteio. Desde Londres-2012, a competição tem essa fórmula para evitar “entregadas” de olho em rival mais fraco na fase seguinte. Assim, Rússia (2ª do grupo A), Holanda (2ª do grupo B), Coreia (3ª do grupo A) e Sérvia (3ª do grupo B) tiveram a sorte lançada no sorteio na madrugada desta segunda-feira e os outros jogos ficaram assim: Coreia x Holanda (10h) e Rússia e Sérvia (18h). A Argentina e a Itália terminaram em nono. Camarões e Porto Rico ficaram em 11º.