Água pelo ralo

Por Carla Hachmann

O Brasil desperdiça mais de 6,5 bilhões de metros cúbicos de água por meio do sistema de abastecimento. Os dados são de estudo divulgado ontem pelo Instituto Trata Brasil e pela consultoria GO Associados. Para se ter uma ideia, a quantidade de água é equivalente a quase sete vezes o volume útil do Sistema Cantareira, principal manancial que abastece a Grande São Paulo. Em termos percentuais, significa que 38,3% da água tratada foi desperdiçada antes de chegar à casa dos consumidores.

Há partes do País em que o problema é mais crítico, a exemplo da Região Norte, onde chega a 55,14%. Em Roraima, a cada 100 litros fornecidos pelas companhias de abastecimento, apenas 25 litros chegam aos clientes. No Amazonas, o percentual de perdas é de 69% e no Amapá, de 66%. Em São Paulo e no Paraná, esse índice é de absurdos 35%.

Mas tem mais má notícia aí. Esse volume de perda tem crescido nos últimos anos, saindo de 36,7% em 2015.

Outra informação para dimensionar ainda mais a questão: em valores, o total perdido pelas companhias distribuidoras é de R$ 11,4 bilhões por ano.

Vale lembrar que, embora toda essa água vá pelo ralo, uma boa parte da população brasileira ainda não tem acesso à água tratada. Quem tem, paga caro por isso, justamente para sustentar todo esse sistema problemático. Isso sem considerar que a água é, sim, um bem finito, e estamos jogando o líquido mais precioso do planeta fora.

 

 



Fale com a Redação

três × 2 =