ADI pelo Paraná: Isenção, água, luz e aumento adiado

Isenção

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) solicitou ao governador Ratinho Júnior a isenção do pagamento de tarifas de água e energia elétrica de hospitais e congêneres de saúde por 120 dias. A medida reforça o enfrentamento da pandemia do coronavírus como preconizado pela Organização Mundial da Saúde.

 

***Água e luz

Romanelli diz que a isenção se faz necessária tendo em vista o aumento considerável nos custos dos hospitais e entidades. “Água e luz são suprimentos de necessidade básica para a manutenção e funcionamento das unidades de saúde. Em meio à pandemia desta abrangência mundial, o Estado tem de garantir que esse custo não afete o atendimento à população”, disse o deputado em requerimento aprovado pela Assembleia Legislativa.

 

Aumento adiado

Carlos Sanchez, representante da indústria farmacêutica Grupo NC, voltou atrás. Sanchez afirmou, em reunião com a Fiesp, que os aumentos para remédios relacionados com a covid-19 podem ser adiados. Quanto aos demais (remédios) só haveria dois caminhos, um dólar de R$ 4 para o seu setor ou uma redução de 5% na margem das farmácias, que deveria ser repassado à indústria.

 

Pico da epidemia

O secretário Beto Preto (Saúde) disse que o Paraná deve ter 10 mil casos de covid-19 no pico da epidemia, mas se prepara caso esse número chegue a 30 mil. O secretário esclareceu que 85% devem ser leves, e cerca de dois terços dos 15% restantes vão precisar de tratamento em enfermaria e um terço de internamentos. “São esses 15% que nos preocupam e o esforço é para atendê-los da melhor forma, evitando os casos de mortalidade entre os grupos de risco”, disse.

 

***Mapeamento

Beto Preto apresenta na quinta-feira da próxima semana (2 de abril) um mapeamento completo dos leitos existentes. Ele disse aos parlamentares que busca 200 leitos de UTI a mais para implantação dentro dos próximos 45 dias.

 

Toque de recolher

O prefeito Claudemir Romero Bongiorno (MDB) decretou mais seis medidas que devem ser adotadas para conter o avanço do coronavírus em Cianorte – são seis casos confirmados na cidade. Entre as novas determinações estão um toque de recolher a partir das 21h até as 5h e mudanças nos horários de ônibus e supermercados.

 

***Montadoras

Segundo a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), as montadoras no Brasil estudam usar fábricas paradas para fazer produtos em falta nos hospitais para combater a epidemia de coronavírus. Das 65 fábricas no Brasil, 37 estão paradas, com mais de 100 mil trabalhadores em férias coletivas, licenças ou lay-off. Uma das opções, seria utilizar as impressoras 3D para produzir peças de ventiladores e respiradores, que depois seriam montados por empresas especializadas.

 

Enem 2020

O Inep avalia adiar o Enem devido à crise causada pelo novo coronavírus. As propostas estudadas falam em pelo menos 15 dias de adiamento da data, mas o prazo deve variar de acordo com a duração de medidas de isolamento que impuseram a suspensão de aulas em todo o País. Inicialmente, o exame seria aplicado digitalmente nos dias 11 e 18 de outubro, e no modelo tradicional nos dias 1º e 8 de novembro.

 

Divergências

O núcleo central do Ministério da Saúde de combate ao novo coronavírus sofreu uma baixa. Júlio Croda, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis, afastou-se de suas funções após divergências internas. Croda está de férias até o começo de abril, mas não deverá retornar ao trabalho em razão de discordâncias com seu chefe, o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira.



Fale com a Redação

vinte − dois =