Antes restrita apenas aos professores do ensino básico e superior, a vacinação contra a Influenza (H1N1) foi liberada para todos os trabalhadores da educação. A inclusão destes profissionais na terceira fase da campanha foi determinada pelo Governo do Estado e busca garantir a proteção de todas as pessoas que trabalham na rede de ensino no Paraná.

A partir de agora, todos os profissionais que atuam em escolas ou universidades públicas ou privadas podem receber a vacina em uma unidade básica de saúde de Foz do Iguaçu. A orientação é agendar o atendimento pelo site: http://vacinacao.pmfi.pr.gov.br.

Para receber a dose, é necessário comprovar vínculo ativo com a instituição de ensino, por meio de carteira de trabalho, holerite ou declaração emitida pelo departamento de recursos humanos da instituição.

Somente as cinco unidades referência no atendimento para a covid-19 não estão aplicando as doses. São elas: UBS da Vila C Velha, Lagoa Dourada, Jardim São Paulo I, Vila Yolanda e Unidade Padre ítalo (24 hs).

De acordo com o Programa de Imunização do Município, cerca de 7.200 trabalhadores da educação devem receber a vacina contra a gripe. Entre eles estão zeladores, merendeiras, cozinheiras, secretários, agentes administrativos, coordenadores pedagógicos, entre outros profissionais da rede. Pessoas que se vacinaram contra a Covid devem aguardar 15 dias para tomar a vacina contra a Influenza, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Vacinação

Também tem direito a vacinação pessoas acima de 60 anos, professores da rede pública e privada de ensino, crianças de seis meses a menores de seis anos, trabalhadores da saúde, gestantes e puérperas (mulheres que tiveram filhos nos últimos 45 dias), pessoas com comorbidades, com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento e forças armadas.

A cobertura vacinal entre crianças está em 60%, mas segundo a coordenadora do programa de imunização, Adriana Izuka, esta porcentagem deveria estar maior tendo em vista o período em que a vacinação está disponível para este público. “A Campanha de Vacinação contra a Influenza começou no dia 12 de abril e segue com baixa cobertura nos grupos prioritários, principalmente entre crianças (60%), gestantes (52%) e puérperas (55%). Nossa expectativa é alcançar 90% de imunização, por isso a vacina continua disponível para todos os grupos”, informou.

Entre os grupos com menor cobertura vacinal estão as pessoas com comorbidades (9%), pessoas com deficiência (15%) e trabalhadores do transporte coletivo (9%).