Cascavel – A Semed (Secretaria Municipal de Educação) de Cascavel iniciou nesta terça-feira (21) um novo processo de licitação para a compra de uniformes escolares para o próximo ano, mas já confirmou que não vai conseguir entregar os kits logo no começo do ano letivo, que inicia no dia 7 de fevereiro de 2022. “Ainda estamos no processo de licitação, mas sabemos que é burocrático e que deve demorar para nos entregarem. Não vamos conseguir entregar no começo do ano”, afirmou a secretária de Educação, Marcia Baldini.

O pregão eletrônico que foi aberto ontem (21) teve a participação de 15 empresas e foi dividido em três lotes, sendo que o valor total do processo foi de R$ 4.587.680,00, uma economia de 17,7% em comparação ao valor inicial de um pouco mais de R$ 5 milhões. Segundo Marcia Baldini, agora começam os prazos de recursos e contrarrecursos e as empresas tem que apresentar um modelo de cada item para que seja verificada a qualidade das peças, para então, sair a ordem de serviço para confecção dos uniformes.

Cada kit é composto por nove itens, sendo um agasalho, duas camisetas de manga curta, uma de manga comprida, moletom, shorts saia, calça, meias e um par de tênis. Um kit será entregue para cada aluno da rede e, segundo a secretária, todos os diretores dos Cmeis e escolas já encaminharam a listagem com o tamanho dos alunos para agilizar o processo de compra com as empresas.

Um processo licitatório já havia sido aberto no começo do mês de dezembro, mas houve problemas de valores dos itens, que tiveram que ser todos revistos pelo Departamentos de Compras da Prefeitura Municipal que agora reabriu o processo com os valores corrigidos. Vale lembrar que no ano letivo de 2021 os alunos não receberam uniformes por causa da pandemia.

A rede municipal de educação conta com 119 instituições escolares, sendo 64 escolas e 55 Cmeis (Centro Municipais de Educação Infantil) e um total de mais de 32 mil alunos. Segundo dados da Semend, existe ainda uma fila de espera de pelo menos duas mil crianças a espera de vagas nos Cmeis.

 

Transparência II

A secretaria ainda adiantou que a Semed estuda e deve definir já nas primeiras semanas de janeiro o local onde será construída a nova “Escola da Transparência” da Cascavel. A primeira foi construída no Loteamento Florais do Paraná, região Norte da cidade. De acordo com Marcia Baldini, há grande possibilidade de que a nova escola seja construída nas proximidades do Bairro Interlagos, que é uma região com grande déficit de vagas, “mas a decisão ainda não está tomada”.

A secretária relatou que o projeto será semelhante com a primeira escola que foi construída com o dinheiro da economia de recursos das licitações dos uniformes escolares. A Escola da Transparência foi inaugurada em novembro do ano passado e tem a capacidade de atender até 240 alunos em tempo integral, com quatro mil metros quadrados de área.

 

Obras

De acordo com Marcia Baldini, para o início do ano letivo de 2022, a Semed ainda estuda a possibilidade de remanejamento, ou não, dos alunos das escolas que ainda não estão com suas obras de reforma e ampliação concluídas. Atualmente, 14 escolas e Cmeis estão com obras em andamento, como as escolas Nossa Senhora da Salete, Divanete Alves de Brito, Rubens Lopes, Juscelino Kubistchek, Nicanor Silveira, Kelly Cristina e os Cmeis Castelinho e Rio do Salto, entre outros.

Outra novidade para o ano que vem é a construção de uma escola nova no Bairro Lago Azul. Para Roberto Zorzan, presidente do bairro, os moradores pediram a construção de uma escola e um Cmei para atender os alunos do Lago Azul e do Jardim Mantovani – inclusive a obra de abertura da Rua Maria Camargo, que vai ligar os dois bairros, facilitando o acesso das duas comunidades, está em execução. Atualmente as crianças do Lago Azul precisam ir até o Morumbi para estudar. “Com certeza é um ganho muito grande para a nossa região”, ratificou Zorzan.

 

Mais 300 profissionais para 2022

A secretária Marcia Baldini também adiantou que nos próximos dias a Semed estará publicando editais de chamamento público confirmando a contratação de pelo menos 300 profissionais que passaram no último concurso público para reforço dos quadros da Educação para o início do ano letivo de 2022.

Serão chamados professores e auxiliares para as escolas e Cmeis, agentes de apoio e monitores de biblioteca, entre outros. A secretária acredita que o novo ano letivo trará também um “novo ânimo” pela conquista da categoria que foi a correção da tabela salarial dos professores que terá garantido o piso da categoria. O projeto de lei foi prevê a concessão de 5%, a partir de 1º de fevereiro, e 4,89% em 1º de março.

 

Foto: Semed