Toledo – Das quatro cidades brasileiras selecionadas para compor o projeto denominado Fortalecendo Redes Culturais, realizado pelo Cebrap-SP (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), uma é do oeste do Paraná: Toledo. O projeto é financiado pela Unesco, a partir do IFDC, um fundo de apoio à diversidade cultural pelo mundo.

O pioneirismo em ações voltadas à valorização cultural, como a implantação de um dos primeiros CEU das Artes do Paraná e do Brasil, foi um dos aspectos preponderantes para a escolha do Município.

Cinco facilitadores locais percorrem os cantos da cidade e do interior em busca de talentos ainda não tão conhecidos para trazê-los à vitrine, bem como entender que espaços utilizam para divulgar seu trabalho e como recebem apoio para estímulo às suas atividades.

Cada facilitador tem a incumbência de realizar dez entrevistas cada um, totalizando 50 artistas ou propostas culturais toledanas identificadas que serão levadas para um site cujo domínio é pago pela Unesco por dois anos. Além de servir como um catálogo, a proposta é aproximar os artistas e promover o fortalecimento dessas redes.

Segundo a comunicadora e uma das articuladoras do projeto Mariana Gouveia Cruz, o lançamento dessa catalogação será em fevereiro de 2019. “Essa é a primeira edição do projeto no País e coloca Toledo numa importante vitrine de reconhecimento e conhecimento da diversidade cultural. Tem sido uma experiência incrível”, revela.

Os outros facilitadores são: Fernanda Fetter, Otávio Augusto, Cristiane Candido e Isabela Olsen, todos com ampla experiência em ações ligadas à diversidade e à valorização cultural.

No campo

O projeto teve início em 19 de novembro e o trabalho de campo vai até 19 de dezembro. O grupo se encontra para compilar as informações e lançá-las ao sistema na Casa da Cultura, espaço considerado pioneiro pelas suas características. A Prefeitura de Toledo também aparece como parceria da ideia.

Segundo Mariana, metade das entrevistas já foi realizada. Além de saírem em busca de artistas, a ideia é para que os artistas também cheguem ao grupo para falar das suas experiências. O agendamento das conversas pode ser feito pelo telefone da Casa da Cultura (45) 3378-4548. “O primeiro objetivo é o fortalecimento da rede de cultura, o segundo é ter uma estatística e uma leitura do cenário cultural local envolvendo o poder público, a iniciativa privada, enfim, identificar como a cultura está acontecendo na cidade”, completou.

O projeto já foi desenvolvido em Embu das Artes (SP), agora em Toledo e as próximas a receberem as ações são Macapá (AP) e Serra Talhada (PE). “Essa é uma oportunidade única, tem muita coisa nova acontecendo, temos encontrado artistas e experiências maravilhosas”, completa a comunicadora.