TADS: Graduação promove curso de Jogos Digitais

Em nove horas de atividades, jovens de Cascavel puderam desenvolver a criatividade, idealizar personagens, programar games e jogar

Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas é a nova aposta da Universidade Paranaense – Unipar. A graduação está na lista de cursos novos para 2020 e já vem organizando eventos – um deles foi o curso de Jogos Digitais, que aconteceu nas últimas semanas.

As aulas foram realizadas aos sábados, ministradas pelo professor Paulo Henrique Pereira, que abordou diversos conteúdos, destacando a história dos games – de onde vieram e como os conhecemos hoje, idealização do personagem e criação, usando Pixel Art, idealização do Level, utilizando Pixel Art, e programação do game, utilizando Unity.

O curso teve a duração de nove horas e o objetivo foi inserir a comunidade nessa área da tecnologia, mostrando como é desenvolvido um jogo. “A criação de jogos digitais não fica somente na programação do software, é muito além, por isso, a proposta foi mostrar todo o ambiente envolvido”, justifica o professor.

O docente ainda destaca que, hoje, o mercado de jogos digitais movimenta bilhões de dólares no mundo inteiro e, aqui no Brasil, apesar de não ser muito divulgado, tem um mercado em pleno crescimento, com várias produtoras de jogos espalhadas pelo País.

Recordando, alguns personagens de jogos eletrônicos se tornaram ícones de diversão e ultrapassam décadas. Entre os mais famosos na indústria dos games, estão: Super Mário (o mais popular), Sonic, Crash Bandicoot, Pac-man, Solid Snake, Lara Croft, Link, Ryu, Megaman, Carl Johnson, Donkey Kong, e Kratos.

Os participantes elogiaram. Estudante do Colégio Estadual Padre Carmelo Perrone, Bianca Barrios, que cursa técnico em informática integrado ao ensino médio, ressalta que seu foco é se especificar em algumas áreas na informática: “Jogos foram para eu ter uma base e saber se quero essa área de informática antes de ingressar no ensino superior. O curso foi ótimo, a criação dos jogos e programação, que é o que mais gosto”. E complementa: “Mesmo sendo um curso básico, ajuda bastante em ver áreas dentro da tecnologia de informação”.

Aluno do Colégio Sesi, Renan Carpenedo também aproveitou o curso 100%. “Eu me interesso por jogos, gosto de jogar e tenho disponibilidade de tempo, por isso vim conhecer mais. Achei muito legal, bom para saber sobre os códigos, que é o mais difícil, e aprender sobre programação, para, quem sabe, no futuro poder programar em casa algum jogo”, frisa.

Alunos criam personagem em curso de jogos digitais

 



Fale com a Redação

um + 12 =