Brasília – Em um revés para a equipe econômica do governo de Jair Bolsonaro (PSL), o ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu nessa quarta-feira (19) manter o reajuste salarial previsto para servidores da administração pública federal para o ano que vem.

A decisão contradiz medida provisória assinada em setembro pelo presidente Michel Temer, que adiou o reajuste salarial dos funcionários públicos civis federais de 2019 para 2020.

Nas contas do governo, o adiamento do reajuste traria uma economia de R$ 4,7 bilhões somente em 2019. A medida seguiu para o Congresso Nacional, mas não foi ainda discutida por deputados e senadores. Por se tratar de uma MP, contudo, o texto entra em vigor imediatamente. Ou seja, até a decisão dessa quarta do ministro Ricardo Lewandowski, não haveria reajuste ano que vem.