COTIDIANO

Só novo pacto federativo pode salvar os municípios, afirma Micheletto

27 de junho de 2015 às 11:45
Publicidade

Cascavel – Há muito a situação dos municípios está longe da ideal no Brasil. E a tendência é de chegar a um completo estágio de insolvência em no máximo quatro anos caso mudanças sérias na distribuição dos recursos públicos não ocorra, e logo.

Esse foi um dos alertas que fez o novo presidente da AMP (Associação dos Municípios do Paraná), o prefeito de Assis Chateaubriand, Marcel Micheletto, durante reunião empresarial da Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel na noite de quinta-feira (25).

“Apenas um novo pacto federativo, que redefina os percentuais de divisão dos tributos, pode mudar a preocupante curva descendente de repasse público aos municípios”, disse.

A queixa de Marcel, que é unânime entre os gestores das 5.564 cidades brasileiras, reside no fato de 65% dos recursos arrecadados com impostos no Brasil ficar com a União, 20% com os estados e apenas 15% com os municípios.

Para piorar, há graves distorções que afetam as comunidades distantes de Brasília, como a falta de planejamento, os desmandos, a corrupção, a falta de prioridades e os gastos desnecessários e excessivos da União.

“O governo federal fica com grande parte do bolo e ainda não é suficiente. A consequência é que acabam, por exemplo, jogando nas costas dos descapitalizados municípios despesas, em saúde e educação, que não honram”.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE