VARIEDADES

Sindicato patronal pede mais prazo e trabalhadores adiam possível greve

18 de junho de 2019 às 07:09
Publicidade

Palotina – Os 24 mil trabalhadores de oito unidades cooperativas das regiões oeste e noroeste do Paraná que ameaçavam deflagrar greve a partir do último domingo (16), com assembleia ordinária realizada na sede do Sintracoop (Sindicato dos Trabalhadores de Cooperativas do Médio-Oeste do Estado do Paraná), na cidade de Campo Mourão, atenderam ao pedido do sindicato patronal para estender o prazo, de modo que as cooperativas possam apresentar propostas às reivindicações da categoria.

A data-limite definida para envio das propostas é 5 de julho e urnas serão disponibilizadas aos trabalhadores para que, no dia 8 do mês que vem, possam votar nas próprias cooperativas se aceitam ou não a proposta patronal e se iniciam a paralisação ou descartam de vez a greve.

Eles são funcionários de C.Vale (Palotina), Copagril (Marechal Cândido Rondon), Frimesa (Medianeira), Coamo (Campo Mourão), Cocamar (Maringá), Integrada (Ubiratã), Unitá (Ubiratã) e Agropar (Assis Chateaubriand). Juntas, essas plantas têm faturamento de mais de R$ 40 bilhões por ano.

Segundo os líderes sindicais que representam os trabalhadores, até o momento nenhuma proposta foi apresentada pelas cooperativas.

Entre as reivindicações da categoria estão o reajuste salarial de 16,50%, auxílio refeição de R$ 990/mês, piso salarial de R$ 1,4 mil, reajuste de 15% no vale-alimentação, garantia do PPR (Programa de Participação nos Resultados); adicional por tempo de serviço, assistência médica; rescisão contratual feita no sindicato; horas extras de 75% e 150%; insalubridade e periculosidade.

 Reportagem: Juliet Manfrin

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE