Após o resgate da brasileira Sandra Maceda, sequestrada no último sábado (14) no Paraguai, a promotora Zunilda Ocampos indicou nesta quarta-feira (18) que o sequestro foi cometido por um grupo improvisado de pessoas sem ficha criminal, segundo as investigações.

O resgate de Sandra Cristina Maceda Rubert foi realizado nessa terça-feira (17) em uma área arborizada da Colônia Guaraní del Este, depois que o negociador foi capturado pela Polícia Anti-sequestro ao deixar o local para fazer uma ligação.

A promotora Zunilda Ocampos, que está investigando o ocorrido, divulgou alguns detalhes sobre o crime e mencionou que se trata de um grupo improvisado de sequestradores.

Os detidos foram identificados como Germán Barreto González, Reinaldo Barreto, Hernán Barreto e Blanca González, que seriam parentes. Além disso, há um quinto membro que conseguiu escapar.

“Nenhum deles tem cadastro, apenas Germán Barreto parece ter uma dívida de dinheiro na jurisdição civil. A partir de agora estaremos apurando mais dados e levaremos o caso a julgamento oral, eles se expõem a uma pena elevada por sequestro”, explicou em entrevista para a Rádio Monumental 1080 AM.

Fonte: Última Hora/ Portal Costa Oeste