O medo é parceiro de quem passa pelas Ruas Cora Coralina e Campo Grande – uma via é continuidade da outra – na região dos Jardins dos Ipês e Angra dos Reis, no Bairro Esmeralda, nos fundos da Univel, zona oeste de Cascavel.

No trecho há quatro postes, entre a Rua Carajás e Saul Mário Caus, que só estão com a fiação, não há sequer a armação das luminárias, quem dirá as lâmpadas que deveriam iluminar o caminho.

Dionamara Oliveira Rodrigues tenta evitar, mas eventualmente passa pelo local há noite. Ela improvisa com a lanterna do celular. “É um perigo passar aqui. É muito escuro. Tem poste, mas não tem lâmpada, não dá para entender. O jeito é usar o celular mesmo”.

Semana passada uma mãe foi flagrada fazendo a mesma coisa: usava a lanterna do celular para iluminar a passagem dela e das filhas. Ela deixa os filhos com a mãe para trabalhar e os busca à noite.

Para desviar da rua escura, é preciso fazer uma longa volta ou pela Rua Espinelio ou pela Avenida Tito Muffato, essa última com intenso movimento de veículos.

A aposentada Tereza Vargas também reclama: “Precisamos urgente das lâmpadas. A prefeitura precisa dar uma solução para a gente”.

Secretaria vai verificar

O engenheiro da Secretaria de Obras Marcos Almeida informou que as equipes vão averiguar a situação da Rua Cora Coralina, mas deixa um pedido: “Quando a população vê problemas como esse, a recomendação é que liguem para o telefone 156, que é a Ouvidoria do Município, ou que entrem em contato pelo aplicativo Particity. Na medida do possível, nós atendemos todas as demandas”.