sandy.jpgRIO ? A princesa, que também sofre e fala palavrão, cresceu, virou mulher. E ela construiu uma trajetória no cenário da musical ao lado de seu irmão que se tornou imortal para os fãs. Há 25 anos, Sandy & Junior celebravam o lançamento de seu primeiro CD, “Aniversário do Tatu”. Em pouco tempo, as crianças prodígios se tornaram um fenômeno de vendas. Em um bate-papo com o Extra, a cantora abriu o coração e relembrou os momentos da carreira com o irmão. A decisão de se separar dele para se aventurar numa carreira solo não foi fácil. “É bom virar uma página, mas a tristeza é inevitável”, afirma a estrela. Veja abaixo os melhores trechos do bate-papo com Sandy.

O início

sandy-e-junior-criancas.jpg?A gente sabia que meu avô apoiou meu pai e nosso tio, então, jogamos baixo. Queríamos muito cantar. Quando a nossa mãe vinha conversar para saber se queríamos renovar o contrato com a gravadora, a gente implorava, chorava. Por mais que fosse cansativo, levávamos na brincadeira. Nossa chantagem deu certo?.

Infância

sandy-e-junior.jpg?Muitas vezes, a gente sentia sono durante a gravação do primeiro disco. Eu tinha 7 anos. Minha mãe falava para a gente dar cambalhota, estrela… Aí voltávamos com todo gás. Eu adorava as pausas que fazíamos à tarde para comer pão de queijo e bolo. Nossa vida não era exatamente como a das outras crianças, mas isso não era nada demais. O fundamental era estudar, estar na escola, ter uma rotina. Mesmo com o trabalho e os shows, nós íamos para o balé, para a natação… E alguns amigos iam dormir lá em casa. Meus pais sempre quiseram trazer essa normalidade para a nossa vida?.

Fama

sej03.jpg?Cada segundo valeu a pena. É claro que mexe com a cabeça de uma criança causar tumulto por onde passa? Mas foi importante ter uma base sólida. Meus pais foram fundamentais. Comecei a fazer terapia com 18 anos. Precisava entender essa cobrança, essa falta de privacidade. São tantas coisas que inventam sobre você que eu poderia dar uma pirada. Hoje eu tiro tudo de letra?.

Os primeiros namoricos

sandy-e-marido.jpg?O que mais dificultava era a invasão de privacidade, porque sempre tinha alguém especulando algo sobre a minha vida. Eu não queria ser vista com namorado. Mas isso não chegou a me impedir de fazer coisas, de viver. Eu ficava chateada com o falatório, com a curiosidade. Mas eu cresci com isso, faz parte?.

Fim da dupla

sej04.jpg?Queríamos terminar enquanto as pessoas curtiam. A separação foi difícil. A dupla era quem eu era. Foi uma vida inteira e não sabia o que seria depois. É bom virar uma página, mas a tristeza é inevitável. Eu acho que foi mais difícil ainda para a minha mãe e o meu pai. No caso dela, a vida era acompanhar a gente. Minha mãe cuidava de tudo, 24 horas por dia. A gente não teve babás?.