Criado em 2018, o Programa Promover, que tem como foco a transferência de subsídios financeiros às famílias em situação de vulnerabilidade social, deu um passo a mais nesta semana quando a Câmara de Vereadores aprovou um projeto de lei que amplia o Cartão Promover.

De acordo com o secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi, a alteração possibilitará ampliar o número de famílias atendidas simultaneamente, de mil para três mil.

“Além dos R$ 100 que já existem, nós teremos também o valor de R$ 300. E esta avaliação para definir os valores que cada família assistida pelo programa terá direito, será definida de forma técnica pelos  Servidores dos Cras (Centros de Referência em Assistência social) , Creas (Centro de Referência Especializado em Assistência Social). Com isso, teremos um alcance muito maior para as famílias em situação de risco”, explicou.

Desde a sua criação, o Promover atendeu cerca de duas mil famílias com investimentos  aproximados de R$ 2 milhões.

Objetivo

O Promover tem o objetivo de  reduzir o impacto da vulnerabilidade, dando condições e autonomia para a família comprar alimentos, material de higiene, de limpeza e gás,  que é o grande diferencial do programa. “O Promover é referência  em todo Estado, vários municípios já replicaram nosso modelo de lei e de programa. E de maneira a ampliar a participação de famílias em situação  de vulnerabilidade, o prefeito Paranhos encaminhou à Câmara Municipal um projeto de lei  que foi aprovado, que amplia o Promover”, observa o secretário.

Critérios

Para  integrar o programa do Cartão Promover é levado em consideração o perfil socioeconômico das famílias que vivem em situação de extrema vulnerabilidade, com renda de zero a R$ 89 por mês  ou de vulnerabilidade, que são aquelas  que recebem de R$ 90 a R$178 mensais. “Em Cascavel há aproximadamente sete mil famílias, somados estes dois públicos, a serem atendidas com estes perfis. Por isso este programa é tão importante para atender e amenizar a situação destas famílias. O projeto agora vai para sanção do prefeito Paranhos. Após isso, será  aberto um novo processo licitatório para  escolher a empresa que vai executar o programa dentro dos novos moldes.  Esse trâmite deve levar em torno de 90 dias. Até lá vamos executando os moldes atuais do Promover e assistindo as famílias que mais precisam”, concluiu  Hudson.