Com mais de 20 programas permanentes, os portos paranaenses se posicionaram em 2021 entre terminais públicos de grande porte com melhor índice de desenvolvimento ambiental do Brasil. Além de ter uma diretoria específica para tratar o tema, com biólogos e engenheiros ambientais no quadro fixo, a autoridade portuária conta com uma empresa contratada exclusivamente para as ações de meio ambiente.

Nos últimos anos, os portos de Paranaguá e Antonina cresceram em movimentação de cargas e em cuidados com a natureza. A evolução fez com que o Porto de Paranaguá fosse reconhecido, ano a ano, pelas ações executadas. Além do Índice de Gestão Ambiental, da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), o reconhecimento veio das duas últimas Conferências do Clima, evento realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2019 e 2021, em que o Porto de Paranaguá foi a única autoridade portuária a participar.

São 20 colaboradores permanentes, em Paranaguá, e mais 50 profissionais especializados. “O desenvolvimento sustentável é possível e o Paraná tem provado isso ao longo do tempo. A cada ano, nossas atividades mostram a importância de investir em programas para proteger nossa baía e conscientizar as gerações futuras”, explica o diretor de Meio Ambiente da empresa pública Portos do Paraná, João Paulo Ribeiro Santana.

AÇÕES – Os programas ambientais são classificados em três meios de atuação: físico, biótico e socioeconômico. No mar, foram 1.358 verificações documentais de navios para gerenciamento da água de lastro e 12 inspeções a bordo para avaliação da salinidade da água de lastro e educação ambiental com os tripulantes.

As equipes também coletaram 344 amostras de água, em 12.384 análises de parâmetros feitas. Do fundo das baías de Paranaguá e Antonina foram retiradas 92 amostras de sedimentos, resultando em mais de 3.404 mil parâmetros analisados.

Em terra, as equipes fizeram mais de 500 medições da qualidade de fumaça expelida por caminhões e outras máquinas. Além disso, a qualidade do ar foi monitorada durante 138 dias em 12 pontos de Paranaguá e três em Antonina. Nas avaliações de ruídos, foram 531 medições, totalizando 44 horas em 21 pontos de Paranaguá e oito pontos de Antonina.

Os resultados são expressivos, também, na comunicação com a população, com quatro campanhas promovidas: 1.120 spots de rádio, 20 campanhas publicitárias em jornais de grande circulação local e a divulgação de 25 outdoors sobre os programas ambientais da Portos do Paraná.

AÇÕES EDUCATIVAS – Com os trabalhadores dos portos, ocorreram 24 treinamentos sobre resíduos sólidos, totalizando a participação de 257 funcionários.

Foram colocadas em prática cinco linhas de atuação junto às comunidades pesqueiras, com saídas regulares para ações de campo, nove projetos voltados ao desenvolvimento, ao turismo, à conservação e ao saneamento daquelas presentes na área de influência, Houve, ainda, cerca de 130 integrações do Sistema de Gestão integrado (SGI) com trabalhadores da Portos do Paraná e terceiros.

PESCADOS E MANGUEZAIS – Quase 700 desembarques pesqueiros foram monitorados continuamente em Antonina, Paranaguá e Pontal do Paraná. Na Portos do Paraná ocorreram quatro campanhas de monitoramento da vegetação dos manguezais, seguidas de 12 ações de limpeza, que envolveram em torno de 115 pessoas. Uma grande ação em Antonina contou com 48 participantes e retirou uma tonelada de resíduos dos manguezais.

No monitoramento da biota aquática, foram coletadas mais de 600 amostras nas baías de Antonina e Paranaguá.

FAUNA  A empresa pública percorreu, ao longo de 2021, cerca de 1.900 quilômetros por mar para o avistamento de botos e tartarugas, durante 24 dias de monitoramento. Com isso, foram catalogados 80 indivíduos diferentes de botos-cinzas. No ar, as equipes identificaram 81 espécies de aves, em 81 dias de atividade.

Para diminuir e controlar populações de vetores transmissores de doenças, ocorreram quatro campanhas de avaliação do nível de infestação de roedores e 24 campanhas da estimativa populacional de pombos.

RESÍDUOS SÓLIDOS –Durante os 12 meses foi prestado apoio à fiscalização da gestão de resíduos, com mais de 1.200 inspeções, além de 1.100 inspeções nos pontos de coleta seletiva, referentes às condições de segregação e armazenamento e mais de 100 inspeções de varrição mecanizada, quanto à eficiência da limpeza e condição dos equipamentos.

GESTÃO DE RISCOS – Em 2021, a Portos do Paraná formou, ainda, uma equipe permanente para Gestão de Riscos, com seis técnicos ambientais, um técnico de gerenciamento de riscos e um coordenador do PGR.

O controle ambiental é feito 24 horas por dia, incluindo domingos e feriados. Já são contabilizadas em torno de 1.000 abordagens de conscientização a aproximadamente 1.500 trabalhadores portuários, além de mais de 5.000 inspeções ambientais de operações e serviços portuários em apenas seis meses com sistemática eletrônica (App).

(AEN)