Curitiba – Representantes da Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina), da Secretaria de Estado da Segurança Pública e do Sindicato dos Caminhoneiros do Paraná debateram esta semana ações conjuntas na área de segurança no entorno da área do Porto de Paranaguá, relativas à safra 2018, que está em andamento.

O diretor-presidente da Appa, Lourenço Fregonese, falou ao secretário estadual da Segurança Pública, Julio Reis, sobre a importância de ações conjuntas de inteligência para combater o roubo de cargas – que se intensifica no período de safra – no trecho da BR-277 que dá acesso ao Porto de Paranaguá.

“Mais de 110 mil caminhões já desceram a Serra em direção ao porto no primeiro trimestre de 2018 e o porto tem uma perspectiva de movimentar cerca de 8,6 milhões de toneladas de grãos entre os meses de abril e julho, um volume recorde para o período”, disse Fregonese.

O trabalho tem como objetivo reprimir furtos de cargas denominadas “vazadas”, em que o suspeito derruba o tombador do caminhão e despeja a mercadoria na via.

Julio Reis disse que a Secretaria convocou uma reunião interna da segurança pública para estabelecer as estratégias de enfrentamento aos problemas que foram relatados. Segundo ele, não é possível que um porto com a importância de Paranaguá tenha esse tipo e dificuldade para escoamento dos seus produtos. “Também vamos reforçar as ações em prol dos caminhoneiros e da população para que tenhamos uma safra tranquila”, disse o secretário.

Caminhoneiros

O diretor do Sindicam-PR (Sindicato dos Caminhoneiros do Paraná), Josemar Cunha Bueno, destacou a importância da reunião para a cidade e para os motoristas ao afirmar que a reunião foi muito importante para se buscar apoio e solução para problemas de segurança que ocorrem na BR-277 no caminho para o Porto de Paranaguá. “Estamos atuando ao lado do porto e da polícia para garantir a segurança dos motoristas nesta safra”, afirmou Josemar.