Aos poucos o Engenhão vai ganhando a cara da Rio-2016. Na quinta-feira, o italiano Alessandro Genta, deu o último retoque na pintura da pista de atletismo que receberá os homens e mulheres mais velozes do mundo. Na reta dos 100m, prova mais nobre do esporte, foram pintados os aros olímpicos, uma tradição que é mantida desde os Jogos de Atenas-2004.

Ao contrário do colorido símbolo do Comitê Olímpico Internacional (COI), os anéis na pista de atletismo ficam camuflados em cor única para não atrapalhar os atletas. No caso do Engenhão, os aros têm um discreto tom de azul mais claro.

Foram necessários dois dias para pintar os aros na pista. O ponto central do aro do meio fica na metade da reta dos 100m. A partir daí, sai a medição para os ouros quatro aros, cujas circunferências foram traçadas por uma trena. Depois disso, começa a pintura. Cada anel precisou de 15 litros de tinta para ficar pronto.