PF apresenta balanço da Operação Contorno Norte

Em Umuarama cinco pessoas foram detidas. Destaca que a quantia de R$ 111.987,00 forma retirados de circulação, além de 9 carros e dois caminhões

UMUARAMA – A Polícia Federal de Maringá apresentou ontem pela manhã o balanço oficial da Operação Contorno Norte. Forma feitos os levantamentos oficiais do que havia sido apreendido e das prisões feitas durante a ação desencadeada na manhã da terça-feira (11).

De acordo com o delegado Ricardo Hiroshi, foram cumpridos 16 mandados de prisão preventiva e 17 mandados de busca e apreensão. Cinco pessoas foram detidas em Umuarama e destaca que a quantia de R$ 111.987,00 forma retirados de circulação, além de 9 carros e dois caminhões.

Além das diversas mercadorias e cigarros contrabandeados apreendidos, também foi recolhido um rádio transceptor, uma pistola e munições, além de dezenas de aparelhos celulares que eram utilizados pelo grupo, bem como notebooks, joias e uma grande quantidade de documentos (incluindo um cofre) e vários chips de telefonia celular.

Depois de aberto o cofre, foram encontrados diversos documentos de veículos que serão analisados no decorrer das diligências.

A operação foi desencadeada depois que um caminhão carregado com cigarros contrabandeados do Paraguai se envolveu em um acidente no Contorno Norte em Maringá, na ocasião, uma mulher morreu.

Os agentes começaram a puxar o fio da meada a partir daquela apreensão e descobriu que os líderes da organização criminosa eram especializados no contrabando de cigarros de origem paraguaia.

Os detidos na ação desencadeada na terça-feira eram envolvidos com o segundo escalão da facção. “Os alvos principais eram gerentes da organização e pessoas seguiam as ordens dos líderes”, apontou Hiroshi.

Os policiais cumpriram os mandados nos municípios de Nova Esperança, Guaíra, Umuarama, Alto Paraíso e Mundo Novo/MS. Além disso, foram deferidos judicialmente o bloqueio de contas bancárias, o sequestro de bens imóveis e a apreensão de veículos vinculados aos investigados.

As apurações permitiram identificar que a organização era responsável pela movimentação de em média, de 20 carretas cheias de cigarros contrabandeados por noite e, durante os três anos de apuração, a PF prendeu 204 membros da organização, realizou 130 flagrantes de contrabando, além da apreensão de 156 caminhões e outros 60 veículos utilizados nos crimes.

Também foram apreendidas cerca de 105 mil caixas de cigarros, o equivalente a 52 milhões de maços. As mercadorias foram avaliadas em R$ 250 milhões pela Receita Federal, gerando aproximadamente R$ 360 milhões em tributos e multas.

Verificou-se ainda que grande parte das carretas utilizadas nos transportes ilícitos furtadas ou roubadas, com posterior clonagem das placas em uma base Da organização que ficava instalada em Maringá. O grupo chegou a utilizar 6.700 linhas telefônicas cadastradas em nome de terceiros para a prática dos crimes.

Na cadeia

O líder do grupo foi preso há cerca de 40 dias em Assunção – PY e a PF já pediu sua extradição. Ele foi condenado a 36 anos de cadeia pelos crimes de contrabando e organização criminosa.



Fale com a Redação

3 × 1 =