Cascavel – A pavimentação da PR-180 até a BR-369, que liga Cascavel a Cafelândia, volta à pauta. Representantes de entidades públicas e privadas começaram um movimento neste ano para conseguir viabilizar a obra, aguardada há muitos anos pelo oeste. Esta semana, uma reunião foi realizada no Sindicato Rural de Cascavel para tratar do assunto.

A iniciativa é liderada pelo vereador e ex-presidente da Câmara de Cafelândia Charles Roling. Participaram do encontro Paulo Orso, presidente do Sindicato Rural de Cascavel, representantes do deputado estadual Hussein Bakri, líder do Governo Ratinho Jr na Assembleia Legislativa e os produtores rurais Lisandro Sarolli Veran e Wilson Fracaro.

A articulação até o momento, em âmbito estadual, já foi feita com a Casa Civil, a Seil (Secretaria de Infraestrutura e Logística do Paraná) – a qual um protocolo de solicitação de recursos foi feito – e com o DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná). “Recurso o Estado tem, o que ele não tem é projeto. O que nós estamos agora buscando é fazer esse projeto, custeado por entidades e empresas. Estamos estudando como viabilizar isso”, comentou Charles.

Com relação a esse projeto, em 2018, o DER-PR abriu um processo licitatório para a elaboração do projeto executivo de engenharia da rodovia PR-180, no trecho que liga a Central Santa Cruz (distrito de Cafelândia) a Cascavel e a ligação entre a PR-180 e a PR-486, no total de 34 quilômetros, e o valor máximo, na época, era de mais de R$ 2 milhões. Quem acompanhou todo o processo foi o deputado estadual José Carlos Schiavinato, que faleceu de covid-19 neste ano. No entanto, nada disso saiu do papel.

“Acabou não dando certo. Agora estamos buscando outros caminhos e estamos abertos a receber entidades e pessoas que queiram nos ajudar nesse objetivo. Nós queremos entregar esse projeto até fim do ano ao governador”, comentou Charles.

De acordo com Orso, é inadmissível pensar que, em pleno 2021, uma rodovia estadual não tenha asfalto. “Com o projeto, conseguimos tentar colocar no orçamento do governo do Estado. Sem projeto, não temos chance alguma de garantir a infraestrutura desse importante trajeto para o escoamento da safra e também porque ele é um caminho muito mais curto a Cafelândia comparado ao que temos hoje, aumentando a integração das cidades. É uma conquista gigante para a logística da região oeste”, declarou o presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Roberto Orso.