O Paraná registrou nesta terça-feira (29) a madrugada mais fria do ano, com temperaturas negativas em 24 municípios. De acordo com o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), em General Carneiro, na região Sul, a mínima foi de -3,9 °C, a menor temperatura do ano no Estado. Em Palmas, no Sudoeste, os termômetros apontaram -3,8 °C e em Guarapuava, no Centro-Sul, a mínima registrada foi de -3,4 °C.

Nesta terça-feira, o frio intenso atingiu até mesmo regiões consideradas mais quentes como o Oeste do Paraná. Cascavel amanheceu com -2,8º °C, Palotina e Toledo registraram -2,0 °C, Marechal Cândido Rondon, -0,8 °C, e Foz do Iguaçu 0,6 °C.

As outras cidades com valores negativos registrados nesta madrugada foram Inácio Martins (-2,7 °C), Assis Chateaubriand (-2,5 °C), Clevelândia (-2,0 °C), Francisco Beltrão (-1,5 °C), Pinhão (-1,5 °C), Laranjeiras do Sul (-1,4 °C), Lapa (-1,0 °C), Ponta Grosa (-0,8 °C), Capanema (-0,7 °C), Palmital (-0,6 °C), Irati (-0,5 °C), Colombo (-0,5 °C), Campo Mourão (-0,5 °C), Pinhais (-0,2 °C), Capitão Leônidas Marques (-0,2 °C) e Ubiratã (-0,1 °C).

Curitiba, na região Leste, amanheceu com 0,6 °C, mas, segundo o Simepar, a sensação térmica chegou a -3,0 °C. Durante a madrugada, a Capital registrou ventos de até 43 km/h.

PRÓXIMOS DIAS  A meteorologista do Simepar Lídia Mota lembra que uma das características do inverno é o ingresso de massas de ar frio e seco no território paranaense, causando quedas bruscas nas temperaturas num intervalo entre 24 e 48 horas. O frio intenso, associado a massas de ar de origem polar, favorece a formação de geadas em boa parte do Estado. Também é comum a ocorrência de nevoeiro.

Lídia explica que a queda na temperatura no Estado no início desta semana se deve à chegada de massa de ar seco. “Para esta quarta-feira, ainda podemos esperar temperaturas negativas em algumas regiões, com previsão de geada em diversos pontos do Paraná nas próximas 48 horas”, disse.

Para o fim de semana, no entanto, a tendência é de alta nas temperaturas. “Essa massa de ar polar, que derrubou as temperaturas na região Sul do Brasil, segue atuando no Paraná, mas as condições do tempo deverão mudar nos próximos dias e atingir temperaturas um pouco mais elevadas”, explicou Lídia Mota.

CHUVAS  De acordo com o Simepar, choveu em Curitiba nesta segunda-feira o total de 15 mm em 24 horas. Durante o mês de junho, o volume registrado foi de 96,2 mm, sendo que a média para o mês é de 108,1 mm. O volume está abaixo da normalidade e o Paraná segue vivendo um cenário de emergência hídrica e rodízios de abastecimento.

Os municípios com maior volume de chuvas registradas nas últimas 24 horas no Paraná foram Inácio Martins (39,6 mm), Lapa (30,0 mm), Guarapuava (29,8 mm), União da Vitória (23,0 mm) e Ponta Grossa (18,0 mm).

Julho e agosto são os meses mais secos do ano no Paraná. A partir da segunda quinzena de setembro, começam as alterações no regime de chuvas típico de inverno, com o desenvolvimento de áreas de instabilidade causado pelo aquecimento mais acentuado da atmosfera entre o Centro-Oeste brasileiro e o Paraguai.