Paraná investiga caso suspeito de coronavírus; já são três no Brasil

Sesa mantém em sigilo dados do paciente e local exato para evitar alarde

O Paraná investiga um caso suspeito de coronavírus no Estado. A informação foi confirmada nesta terça-feira (28) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde). O Ministério da Saúde já foi notificado e acompanha a investigação.

O Ministério da Saúde informou que até as 17h desta terça-feira (28) havia três casos suspeitos do novo coronavírus no Brasil, todos monitorados pelas autoridades de saúde brasileiras. Além desse de Curitiba, há o caso de Belo Horizonte, anunciado pela manhã, e outro em Porto Alegre.

Os pacientes se enquadraram na atual definição de caso suspeito para nCoV-2019 (o novo coronavírus), estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), ou seja, apresentaram febre e, pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, e viajaram para área de transmissão local nos últimos 14 dias.

De acordo com a pasta, os pacientes apresentaram sintomas como febre, tosse e dificuldade de respirar. Todos teriam histórico de viagem à China nos últimos 14 dias.

Os pacientes brasileiros serão monitorados e ficarão isolados até que os resultados dos exames sejam divulgados, o que deve acontecer até o fim da semana.

Os casos
O caso gaúcho foi inicialmente notificado na cidade de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, na manhã de hoje, quando o paciente procurou uma UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) apresentando febre. No centro médico, o homem de 40 anos relatou ter voltado da China há quatro dias.

Segundo a Prefeitura de São Leopoldo, a equipe da UPA “procedeu o atendimento conforme preconiza o protocolo do Ministério da Saúde, isolando o paciente e realizando exames prévios”. O material coletado do exame foi encaminhado ao Lacen (Laboratório Central do Estado). O paciente segue internado e em isolamento para observação. De acordo com a prefeitura, o paciente é morador da cidade de Kunming, localizada a mais de 1.500 quilômetros de Wuhan.

Em Belo Horizonte, o caso suspeito é o de uma estudante de 22 anos que esteve recentemente em Wuhan, na China. Ela retornou ao Brasil no dia 24 de janeiro – embarcou na China, fez escala em Paris (na França), Guarulhos (SP) e chegou a Belo Horizonte (MG). Segundo o ministro, todas as 14 pessoas que tiveram contato com a estudante estão sendo “monitoradas”.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, a jovem está internada e passa bem.

No Paraná
O Ministério da Saúde não informou mais detalhes sobre o caso suspeito registrado em Curitiba. A Secretaria da Saúde do Paraná mantinha em sigilo os dados do paciente, que está internado. A pasta não confirmou o local exato da investigação para evitar alarde.

A coordenação de Vigilância Epidemiológica do Paraná confirmou apenas que o paciente apresentava quadro de infecção respiratória leve em “estágio inicial”.

O paciente estava em avaliação para identificação e construção do histórico de viagem.

Risco mundial
Até a última segunda-feira (27), a OMS (Organização Mundial da Saúde) considerava caso suspeito os pacientes com sintomas que estiveram na região de Wuhan, onde o surto começou. Com a escalada de casos em território chinês, todo o país é considerado local de transmissão ativa e qualquer pessoa que tenha passado pela China e apresente sintomas passará a ser classificado como caso suspeito.

O novo coronavírus já infectou mais 4,5 mil pessoas, das quais 106 morreram. Além da China, 14 países de quatro continentes já confirmaram infecções pela doença.

Na manhã desta terça-feira o Ministério da Saúde elevou o nível de alerta no Brasil para “risco iminente”.

Texto editado às 20h40 para adição de informações.



Fale com a Redação

14 − 1 =