Cascavel – Em um cenário cada vez mais tranquilo, o pior da pandemia de covid-19 parece estar ficando para trás no Paraná. Após zerar a fila de espera para internamentos e ver a taxa de ocupação de UTIs despencar, agora o Estado registra a menor média móvel de casos desde novembro, antes do pico de dezembro.

Conforme boletim divulgado ontem pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), a média móvel de sete dias é de 1.428 casos/dia, 41,4% a menos que a média de 14 dias atrás. Pelo gráfico é possível visualizar bem a queda.

A média móvel é calculada pelo total de casos confirmados em sete dias dividido por sete. A menor média registrada pelo boletim diário é de 11 de novembro, quando alcançou 1.331/dia, e desde então começou a subir.

Para se ter uma ideia, na metade de junho deste ano, quando o Paraná registrou novo recorde de casos ativos (mais de 353 mil infectados com capacidade de transmitir o vírus), a média móvel passou de 7 mil casos/dia. Ontem, eram 337.283 o total de infectados com o vírus ativo, o menor número desde 21 de junho.

Também em queda há um mês, a média móvel de mortes ontem era de 32 mortes/dia, 63% menor que a de 14 dias atrás e alcança o menor nível do ano, conforme indica o gráfico. Nesse caso, o pico é de março, quando o Paraná se aproximou de 250 mortes por dia por complicações da covid-19.

Saúde confirma 2.657 casos e 95 óbitos

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nessa terça-feira (20) mais 2.657 casos confirmados e 95 mortes pela covid-19 no Paraná. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.342.863 infectados desde o início da pandemia, dos quais 33.720 não sobreviveram.

Os casos divulgados ontem são de janeiro (14), fevereiro (14), março (244), abril (137), maio (92), junho (202) e julho (1.954) de 2021.

O Estado tinha ontem 3.392 pacientes em leitos exclusivos para tratar covid-19, dos quais 1.709 em UTI, mantendo a queda registrada desde o fim de junho. A taxa de ocupação de UTI ficou em 72%, com 545 leitos disponíveis.

A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 95 pacientes, sendo 45 mulheres e 50 homens, com idades que variam de 22 a 96 anos. Os óbitos ocorreram de 17 de março a 20 de julho de 2021.

7 milhões de doses aplicadas no Paraná; 63% dos adultos já receberam a vacina

Curitiba – O Paraná ultrapassou, nessa terça-feira (20), o marco de 7 milhões de vacinas aplicadas contra a covid-19. A data é alcançada dois dias após a campanha de imunização completar seis meses. São 7.094.359 aplicações: 5.232.935 primeiras doses (73,8% do total aplicado), 1.581.346 segundas doses (22,3%) e 280.078 doses únicas (3,9%).

Da população adulta paranaense, estimada em 8.720.953 pessoas, 63,21% já receberam ao menos uma dose. A meta da Secretaria Estadual da Saúde é atingir 80% até agosto, e 100% até setembro.

Já o percentual da população completamente imunizada, que já recebeu a segunda dose ou dose única, está em 21%. Os dados são do Vacinômetro do SUS (Sistema Único de Saúde), vinculado ao Ministério da Saúde.

O mês de julho também se destaca pela agilidade na imunização. Até o dia 19, foram 1.264.048 doses aplicadas no mês: uma média de 66.529 doses por dia. O número é o maior de toda a campanha de imunização. Até então, os maiores índices foram registrados em junho (média de 62.627 doses/dia) e abril (49.153 doses/dia).

“O Paraná está cada vez mais próximo de atingir a meta de vacinação, e já estamos criando um escudo imunológico contra o coronavírus. A vacina nesse momento é fundamental, ninguém pode deixar de tomar a segunda dose, ninguém pode simplesmente se recusar a tomar a vacina. Ela não é obrigatória, mas é uma opção que tem que ser levada em conta de maneira firme. Essa é uma decisão de amor, de solidariedade humana”, afirma o secretário estadual de Saúde, Beto Preto.

População em geral

Um dos destaques na vacinação do Paraná é a população em geral, faixa com maior número de imunizantes administrados. Com 2.033.701 doses aplicadas, o Paraná é o terceiro estado mais avançado no grupo, atrás de São Paulo (9.875.913) e Rio de Janeiro (2.197.416) e à frente de Rio Grande do Sul (1.913.983) e Minas Gerais (1.855.654).

Em números absolutos, o segundo grupo que mais recebeu doses no Estado foi o de pessoas de 65 a 69 anos (781.489), seguidos por trabalhadores da saúde (744.583), pessoas de 70 a 74 anos (603.835) e de 60 a 64 anos (599.142). No quadro geral, mulheres (55,6%) foram mais vacinadas que homens (44,4%).

Entre as aplicações, a maior parte (47,1%) foi fabricada pela Fundação Oswaldo Cruz, na parceria com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford. A Coronavac (Instituto Butantan/Sinovac) representa 35,4%; a Cominarty (Pfizer/BioNTech) equivale a 13,5%; e a Janssen (Johnson & Johnson), 3,9%.

Municípios

Entre os municípios com a maior porcentagem da população vacinada com a primeira dose, de acordo com Ranking de Vacinação contra a Covid-19 no Paraná, estão Maringá (72,13%), Pontal do Paraná (71,51%), Santa Cecília do Pavão (68,73%), Guaraqueçaba (67,96%) e Barra do Jacaré (65,09%). Foz do Iguaçu também alcançou 70% da população adulta.

Na segunda dose, se destacam Barra do Jacaré (29,85%), Miraselva (23,95%), Nova Laranjeiras (23,71%), Terra Roxa (23,28%) e Esperança Nova (22,44%).

Novas doses

Nesta semana, o Paraná recebe novo lote de 453,7 mil vacinas contra covid-19. São 296.550 doses do imunizante Covishield, da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz; 88.200 da CoronaVac, do Instituto Butantan/Sinovac; e 69.030 doses da Comirnaty, produzida pela Pfizer/BioNTech. As doses chegaram entre segunda (19) e a madrugada desta quarta-feira (21) e começarão a ser distribuídas para os municípios.

Os imunizantes são destinados ao avanço da aplicação de primeira dose na população em geral e população de fronteira, além da segunda dose para comorbidades, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas e população geral.