COTIDIANO

Paraguai fecha duas mil lojas e desemprega 10 mil pessoas

25 de junho de 2015 às 11:21
Publicidade

Guaíra – Não é de hoje que as relações entre Brasil e Paraguai provocam fortes emoções, que oscilam em extremos em poucos movimentos. A crise generalizada que afeta o maior país latino-americano atinge com força os principais centros comerciais do vizinho – Cidade do Leste, Salto del Guayrá e Pedro Juan Caballero.

Com o dólar acima de R$ 3, cenário consolidado a partir de outubro do ano passado, o volume de negócios na região de fronteira caiu drasticamente.

Os números explicam melhor os efeitos da crise, uma das maiores da história, que as cidades paraguaias que fazem divisa com o Brasil enfrentam: a soma de negócios fechados principalmente nos últimos oito meses supera os dois mil, desses pelo menos 60% de forma definitiva, e mais de dez mil empregos foram eliminados.

Como as cidades brasileiras que fazem divisa com Cidade do Leste, Salto del Guayrá e Pedro Juan Caballero – Foz, Guaíra e Ponta Porã (MS), respectivamente -, são centros maiores, cedem boa parte da mão de obra empregada nessas cidades. Pelo menos 65% dos que perderam a sua renda são brasileiros.

Apesar das tentativas do governo brasileiro de recuperar a confiança do mercado, indicadores recentes mostram que os paraguaios terão de esperar tempo considerável para que a economia do lado de cá volte aos trilhos.

O próprio governo já admite inflação na casa dos 9% em 2015 e retrocesso do PIB (Produto Interno Bruto) em mais de 1%. Os anúncios de investimentos, feitos nas últimas semanas, contribuem para reduzir a cotação da moeda norte-americana, mas as chances de que, ela recue e fique abaixo dos R$ 3, não são grandes. Nos últimos dias, ela orbita em R$ 3,05.

(Com informações de Jean Paterno)

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE