Curitiba – No período regulamentar de apresentação da declaração de IRPF/2018 (Imposto de Renda das Pessoas Físicas), que começou dia 1º de março e se encerrou no dia 30 de abril de 2018, a expectativa era de receber 1,85 milhão de declarações e foram recebidas 1.890.591, ou seja, aumento de 2,2% em relação à previsão inicial.

O quantitativo representa 6,45% do total de declarações recebidas por meio do PGD (Programa Gerador da Declaração) no País, que foi de 29.269.987 declarações. Foram recebidas 317.920 enviadas pelos sistemas móveis, cujo número não consta nas estatísticas do Estado. Observa-se, neste exercício, um acréscimo percentual de 3,93% no quantitativo de declarações recebidas, no prazo regulamentar, em comparação ao ano anterior que atingiu 1.819.073.

Em 2017, no período de 1º de maio até 31 de dezembro de 2017, foram recepcionadas 15.747 declarações em atraso de contribuintes que estavam obrigados e não fizeram a entrega no prazo regulamentar, o que representou uma inadimplência de 0,86% naquele ano.

A partir de ontem a apresentação da declaração fica sujeita a multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, se obrigatória, e será lançada de ofício e calculada sobre o total do imposto devido apurado na declaração, ainda que integralmente pago. A multa terá um valor mínimo de R$ 165,74 e o valor máximo correspondente a 20% do imposto devido e deverá ser recolhida até 30 dias após a entrega da declaração.

De acordo com o cronograma já divulgado pela Receita Federal, em 15 de junho de 2018 será liberado o primeiro lote de restituições.