Maripá – Estudantes de 28 municípios que fazem parte da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) já tiveram acesso à Educação Financeira por meio de um projeto realizado em parceria com a Itaipu Binacional. O conteúdo é repassado aos estudantes na sala de aula de forma interdisciplinar e sem atrapalhar o conteúdo proposto pela Secretaria de Educação. “O projeto começa com a capacitação dos professores. Eles já levam esse conhecimento de forma indireta nos conteúdos aplicados, o que nós fazemos é incentivar para que esse repasse seja feito de forma ordenada, conectada, crescente e que gere resultados, por exemplo, os alunos podem fazer a analise da conta de energia elétrica com base em quantas pessoas moram na casa e calcular quanto e como cada um gasta. Com base nisso o professor ensina sobre cálculo, consumo consciente, gráficos e economia”, explica o ministrante do curso de administrador, Altemir Farinhas.

A ideia é levar aos estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental uma noção de como lidar com o dinheiro. “Queremos que esses jovens se tornem consumidores conscientes e que saibam cuidar de suas finanças. Trabalhamos três princípios: gastar, poupar e doar. Não se pode gastar tudo o que ganha, nem guardar tudo, e é preciso dividir também, por isso ensinamos sobre generosidade”, complementa Altemir.

Bons resultados

Nova Aurora é uma das cidades que aderiram ao programa. Professores de seis escolas foram capacitados e transmitiram o conhecimento aos alunos.

Em Terra Roxa, três turmas da Escola Municipal Rainha dos Apóstolos fazem parte do projeto e a diretora também já vê o conhecimento adquirido mudando a vida dos alunos. “Está sendo muito proveitoso tanto para os alunos quanto pra nós professores e funcionários envolvidos. Nós conseguimos ver um envolvimento dos alunos com o conteúdo prático. Uma das turmas está produzindo sabão líquido e vendendo para arrecadar dinheiro. Nessa atividade estudaram português, matemática e química, já que tendo uma receita base eles precisam analisar proporções e fazer funcionar a produção. Eles planejam ir à feira da cidade para vender o produto. É um conhecimento de fundamental importância e que eles vão levar para a vida inteira”, comemora a diretora da escola Nagila Lobato Marconato Garcia.

Ana Lívia Braga Silveira tem oito anos e estuda na Escola Municipal Nilza de Oliveira Pipino, em Formosa do Oeste. Ela colocou o conteúdo do curso em prática e vem colhendo frutos: “Vendendo trufas. Já guardei dinheiro para comprar um celular e agora quero comprar uma égua, por isso estou me dedicando mais e economizando”.

O projeto também oferece material e palestras para os pais: “Muitas pessoas têm dificuldade em lidar com finanças, basta olharmos os números de pessoas que têm o nome incluído nos serviços de proteção ao crédito por não conseguirem quitar suas contas. Então, pelos alunos, que aprendem na sala de aula, o conhecimento é levado aos pais e reforçado nas palestras”, reforça Altemir.