Após a polêmica sobre os “riscos” do Lago Municipal de Cascavel, o capitão Murilo Sinque de Paula, que representa a Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil, convocou ontem o secretário do Meio Ambiente, Wagner Yonegura, o gestor ambiental da secretaria , José Luiz Ferreira, e o analista de Águas da Sanepar, Luiz Antonio Lopes, para falar sobre o assunto.

Segundo Murilo, há poucos meses os bombeiros fizeram uma verificação in loco no lago, inclusive no vertedouro, e na ocasião verificaram a ausência de uma placa, a qual já foi consertada (veja na imagem). “No mais, está tudo em ordem. Agora eles devem providenciar esse documento para que a barragem volte a ser referenciada como nível baixo”, reforça Murilo.

O documento ao qual ele se refere é o Plano de Ação de Emergência, solicitado ao Município em dezembro do ano passado pelo Instituto Águas Paraná, que monitora as barragens e que deu prazo de 24 meses para que seja providenciado esse plano.