Cascavel – Milhares de mulheres em todo o País prometem ir às ruas neste sábado (29) pelo ato #EleNão, movimento que tem ganhado força pelas redes sociais contra as ideias e falas do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que ficou conhecido por críticas xenofóbicas e machistas.

Ontem, o Ministério Público do Paraná expediu recomendação administrativa à governadora do Estado com o objetivo de assegurar que as manifestações organizadas por grupos de mulheres previstas para ocorrerem em todo o Estado. A preocupação é com a integridade física dessas mulheres e o risco de que sejam atacadas pelo seu posicionamento contrário ao candidato líder nas pesquisas especialmente entre o público masculino.

No documento, que também é dirigido ao secretário de Estado da Segurança Pública, ao Comando-Geral da Polícia Militar e ao delegado-geral da Polícia Civil, o MP recomenda que os órgãos garantam o direito à realização de manifestações públicas pacíficas nos locais definidos e acompanhem a realização dos atos, intervindo somente se necessário para garantir a segurança de seus participantes.

“Além disso, os policiais civis e militares devem ser orientados para que, nas abordagens policiais – que só devem ocorrer se motivadas por critérios objetivos -, a revista seja realizada por agentes do mesmo gênero da pessoa abordada, sem qualquer tipo de tratamento vexatório ou discriminatório”, cita o documento.

O MP pede ainda a liberdade total da imprensa no registro dos protestos.

Em Cascavel, o movimento foi articulado pelo Facebook e até ontem contava com 6 mil mulheres. O ato será às 9h na frente da Catedral Nossa Senhora Aparecida e a programação deve se estender até as 13h.

Uma das organizadoras, Márcia Rosset afirma que será um evento para toda a família participar. “É um ato pacífico e acolhedor aberto para todos, homens, crianças, idosos e pessoas que comungam com a nossa causa”. A programação inclui fala de especialistas sobre a violência contra a mulher e o racismo no Brasil, além de outras ações mais descontraídas, como pintura artística facial e um espaço reservado para a diversão das crianças. “A policia fará a segurança no local. Queremos um ambiente tranquilo, por isso também concordamos de não aceitar provocação”.

O grupo Mulheres Contra Bolsonaro em Cascavel surgiu no Facebook há um mês a exemplo de outros criados em repúdio a alguns posicionamentos do candidato do PSL. “O movimento surgiu a partir de várias mulheres que não concordam com as declarações racistas, homofóbicas, machistas e preconceituosas do candidato. Não podemos aceitar que um político tenha esse tipo de posicionamento. Enquanto mulheres, defendemos melhorias para nossa categoria, mas não nos consideramos diferente das outras pessoas. Somos mulheres iguais às que apoiam o Bolsonaro, a diferença é que defendemos nossas ideias de maneira tranquila e não estamos provocando ninguém.”

Contra o fascismo

Já em Toledo, o ato público “Só Voto em quem me respeita – Mulheres contra o Fascismo” será realizado no Parque Ecológico Diva Paim Barth a partir das 16h30 e promete reunir mulheres de Toledo, Assis Chateaubriand, Palotina, Cascavel, Foz do Iguaçu, Marechal Cândido Rondon, Tupãssi e outras cidades da região.

A previsão é de que cerca de 300 mulheres participem do evento, que também está sendo divulgado por redes sociais.

Segundo a organização o evento é apartidário e está aberto para todas as pessoas que não concordam com as propostas apresentadas pelo candidato à presidente chamado de “inominável”.

Internacional

A organização das mulheres brasileiras ganhou o mundo e ontem artistas como Madonna e Cher se posicionaram publicamente sobre o assunto. Madonna, inclusive, postou uma foto com a hashtag EleNão (#EleNão) que viralizou no País símbolo da contrariedade aos discursos de ódio e machistas defendidos publicamente por Jair Bolsonaro.

 

Manifestação do movimento #Elenão em Cascavel. #OParaná #HojeNews

Posted by O Paraná / Hoje News on Saturday, September 29, 2018