Motorista se recusa a ajudar e paciente perde consulta

O paciente aguarda consulta com neurologista no Cisop há dois meses

A aposentada Nair Marques da Silva e o filho Evandro Marques da Silva passaram por uma experiência desagradável ao precisarem dos serviços da Secretaria de Saúde de Cascavel.

Evandro tem ataxia cerebelar, uma doença crônica que prejudica o equilíbrio e a coordenação motora, e por isso ele precisa de ajuda para se locomover.

O paciente aguarda consulta com neurologista no Cisop há dois meses, mas, pela falta de equilíbrio, tem medo de ir até o local. A mãe foi até a USF (Unidade de Saúde da Família) do Bairro 14 de Novembro, onde a consulta havia sido marcada, e pediu se era possível cancelar. “Elas me falaram que não era possível, porque a doença do meu filho é muito grave e me garantiram que dois servidores iriam até a minha casa para levá-lo ao Cisop”, conta Nair.

Apesar da garantia, isso não aconteceu. Os dois estavam aguardando desde as 5h, mas apenas um servidor chegou à residência perto das 7h30. Sozinho, ele nem desceu da ambulância, apenas disse que voltaria para a secretaria “e que eu deveria tentar remarcar a consulta”.

A coordenadora da USF informou que, ao agendar a consulta com o especialista, informou a Secretaria de Saúde que Evandro precisava do auxílio de duas pessoas. Ela informou ainda que tentará reagendar a consulta.

A Secretaria de Saúde foi procurada pela reportagem, mas não se pronunciou até o fechamento da edição.

Reportagem: Milena Lemes



Fale com a Redação

dez + nove =