Ministério da Infraestrutura e o governo do Paraná avançaram na definição dos últimos ajustes do modelo que será utilizado para a concessão de mais de 3,3 mil quilômetros de rodovias no estado. Em reunião nesta quarta-feira (23), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o governador do Paraná, Ratinho Júnior, reconheceram que o projeto depende somente de “detalhes a serem refinados e calibrados”, com o intuito de garantir uma tarifa justa e a ampliação de capacidade da malha rodoviária do estado.

“Tudo o que a gente podia atender em termos de sensibilidade e de cuidado, nós estamos tendo. O que a gente quer é a garantia de que o investimento seja feito. A nossa obsessão aqui é ver R$ 44 bilhões de obras acontecendo, é ver 1,7 mil quilômetros de duplicação sendo feitos. É ver o estado do Paraná transformado”, afirmou Tarcísio de Freitas.

Foram mais de 5 mil contribuições da sociedade paranaense recebidas pelo MInfra na fase de audiência pública. As principais novidades: a inclusão de 37 quilômetros do trecho entre os municípios entre Morretes e Antonina, referente ao lote 2, a iluminação nos segmentos de serras e o incremento nas operações de guincho e socorro, inclusive com o aumento no número de ambulâncias do tipo UTI. Os investimentos a serem feitos pelos concessionários também aumentaram para R$ 44 bilhões.

“Estou muito convencido e tranquilo quanto ao que está sendo feito por parte do Ministério da Infraestrutura. A sociedade do Paraná está vendo a seriedade como o assunto está sendo tratado. Confio muito no crescimento do estado e investir R$ 44 bilhões é alto realmente audacioso e transformador”, avaliou o governador Ratinho Junior.