Brasília – Sem candidato a vice definido, o MDB confirmou ontem (2) o nome do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como candidato à Presidência da República. O resultado foi anunciado pelo presidente da legenda, Romero Jucá (RR), que ressaltou que dos 419 votantes, 85% disseram sim a Meirelles. Em 2014, segundo Jucá, 54% dos convencionais apoiaram a chapa Dilma/Temer na corrida presidencial. “A votação demonstra a unidade do partido”, ressaltou.

Diante de toda cúpula emedebista e apoiadores, o presidente da República, Michel Temer, pediu à militância empenho para levar o nome de Meirelles de maneira convincente pelo Brasil. “Tem que levar a ideia com a alma”, ressaltou acrescentando que o MDB tirou o Brasil de uma “crise extraordinária” e vai colocar “o País nos trilhos”.

Ao agradecer ao MDB, Meirelles defendeu um pacto de confiança pela governabilidade e disse que tem resultados a mostrar não apenas como ex-ministro da Fazenda, mas também no comando do Banco Central, onde passou oito anos. “Convido vocês a nos unirmos com firmeza e serenidade, vamos ganhar essas eleições, trabalhar e construir um Brasil do tamanho dos nossos sonhos”, disse.

Henrique Meirelles falou das diretrizes de seu programa de governo e destacou como prioridades investimentos em infraestrutura, para diminuir as distâncias no país, além de saúde e segurança pública. O presidenciável também prometeu reforçar o Bolsa Família. Para gerar empregos, Meirelles disse que pretende resgatar a política econômica, atrair investimentos e fazer as reformas que o País precisa. “Minha meta é fazer o País crescer 4%, ao ano”.

PP e DEM confirma apoio a Geraldo Alckmin

O Partido Progressista (PP) oficializou ontem (2) o apoio à campanha do pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Gerado Alckmin. A decisão foi tomada durante a convenção nacional do partido, em Brasília. Com isso, confirmam-se as expectativas de o chamado Centrão – grupo formado por PR, PRB, Solidariedade e PP – apoiar o ex-governador de São Paulo antes mesmo de ser definido o nome do candidato à Vice-Presidência.

Alckmin disse que, se for eleito, o foco de seu governo será a criação de oportunidades de trabalho, emprego e renda. “Temos de ter proposta, projeto e time, e o PP é essencial nessa reconstrução, para que possamos progredir e fazer as reformas. Nosso tempo é o tempo da mudança. Esta é uma tarefa coletiva. Construir consensos para o Brasil poder avançar.”

Em convenção nacional ontem, o Democratas (DEM) também oficializou apoio à pré-candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência da República. Os partidos que compõem o chamado Centrão, formado por DEM, PP, PRB, PR e Solidariedade, confirmaram o apoio ao tucano na semana passada.