São Paulo – O empresário Josué Gomes (PR), filho do ex-vice-presidente José Alencar, avisou o ex-governador Geraldo Alckmin, do PSDB, que não será seu candidato a vice nas eleições de 2018. O apoio do PR segue mantido e a escolha do companheiro de chapa do tucano voltará a ser discutida pelo Centrão.

Nessa terça-feira, em evento em São Paulo, Alckmin não confirmou a conversa: "Se ele puder ser [vice], será um grande nome. Se não for o Josué, vamos buscar outro nome. Não está totalmente fechado".

Na segunda-feira, Alckmin e Josué se encontraram duas vezes. O primeiro ocorreu pela manhã e o segundo, à tarde. No último encontro, Josué afirmou a Alckmin que ele poderia se sentir à vontade para buscar um novo nome e comunicou que não aceitaria a indicação do seu partido.

Josué tinha uma conversa com petistas, ontem, sobre a disputa presidencial. O PT quer convencê-lo a disputar a vice na chapa de Fernando Pimentel ao governo de Minas Gerais. Os dois deveriam se encontrar à tarde, mas a reunião foi cancelada. O PR em Minas deve apoiar a reeleição do governador petista.

Centrão

Na semana passada, Josué foi indicado pelo líder do PR, Valdemar Costa Neto, como possível vice de Alckmin após o Centrão decidir apoiar o tucano. Em viagem ao exterior, o empresário divulgou nota na qual evitou se comprometer com a candidatura e avisou que tomaria uma decisão quando voltasse ao País.

“Tomei conhecimento da decisão do Partido da República, ao qual sou filiado, de, juntamente com DEM, PP, PRB e Solidariedade, de apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência da República, sugerindo o meu nome como possível vice da chapa. Relembro o meu saudoso pai, que dizia que o importante na chapa é quem a encabeça.” E acrescentou: “Vice não manda nada e deve evitar atrapalhar”.