Receber material, separar, organizar e comercializar: todas essas etapas são fundamentais no desenvolvimento do trabalho das cooperativas responsáveis pelos Ecopontos em Cascavel. Diante disso, os técnicos do Parque Tecnológico da Itaipu Binacional, Paulo Henrique Squinzani e Juliana Correia estão reunidos, nesta quarta-feira (11), com os técnicos ambientais que prestam o apoio às cooperativas na administração operacional e contábil.

Os técnicos ambientais, que passam pelo treinamento com a Itaipu Binacional, foram contratados pelo Município por meio de processo licitatório, com a empresa Biosfera.

Na oportunidade, está sendo apresentado o Plano Operacional das Unidades de Valorização de Recicláveis (UVR) e o chamado “Reciclômetro”, sistema onde é lançado mensalmente a prestação de contas das cooperativas pelos técnicos das UVRs, com intuito de demonstrar o resultado da parceria. Os dados também são encaminhados à  Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Em média, as cinco cooperativas responsáveis pelos Ecopontos tem um faturamento de 40 mil reais com o material reciclado. Os valores têm como destino o pagamento das despesas administrativas, operacionais e também aos trabalhadores envolvidos nas atividades.

80% dos materiais recebidos são provenientes do consumo de papel, plásticos, metal, vidros e eletrônicos que passam pela seleção e posterior comercialização dos produtos.

“O treinamento faz parte de um conjunto de ações que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente vem desempenhando junto aos Ecopontos.

Isso mostra quão importante é a parceira da Itaipu Binacional, o trabalho das cooperativas e de seus cooperados, e claro, o apoio da população na separação dos resíduos produzidos contribuindo com a preservação do meio ambiente, geração de trabalho e renda aos profissionais de materiais recicláveis”, enfatizou o Secretário Municipal do Meio Ambiente, Nei Hamilton Haveroth.