Marcha da Família e ruralistas

Manifestantes pró-Governo Bolsonaro voltam às ruas neste 15 de maio. Desta vez, o evento ganhou o nome de Marcha da Família Cristã pela Liberdade. Os organizadores afirmam que a primeira edição da marcha, em 11 de abril, reuniu pessoas em 100 cidades. Agora, a expectativa é dobrar esse número. Em Brasília, o ato deve ser reforçado por uma manifestação de ruralistas. Uma parte deles saiu do oeste do Paraná. Um grupo de 21 pessoas de Nova Santa Rosa, denominado Família Patriota, e moradores de Marechal Cândido Rondon e Quatro Pontes embarcaram na manhã dessa sexta com destino a Brasília. Eles levam junto cartazes pedindo o “fim das políticas de lockdown”, a “verdadeira democracia com voto impresso e auditável” e “Supremo Tribunal decente e um Senado ativo”. Uma carreata está marcada para a manhã deste sábado e a manifestação na Esplanada dos Ministérios, à tarde.

 

Mobilização

Outra mobilização nacional reúne profissionais de enfermagem neste sábado em todo o País. O ato é pela votação do PL 2564/2020, o qual está no Senado para votação e aberto consulta pública no portal e-Cidadania, cuja principal alteração é instituir o piso salarial nacional do enfermeiro, do técnico de enfermagem, do auxiliar de enfermagem e da parteira. Em Cascavel, eles se reunirão no estacionamento da Paróquia São Cristóvão, às 15h, de onde partem em carreata até a prefeitura.

 

Voto Impresso

O deputado federal paranaense Paulo Martins (PSC) vai presidir a Comissão Especial que vai discutir a PEC 135/19, proposta pela deputada Bia Kicis (PSL-DF), que torna obrigatória a impressão do voto para que seja possível auditar o resultado das urnas eletrônicas, a “PEC do Voto Impresso”.

 

Parcela extra

Os municípios devem receber quase R$ 4,8 bilhões no dia 8 de julho. O valor é referente ao 1% adicional do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), previsto na Emenda Constitucional 55/2007. Os recursos têm origem na arrecadação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e do Imposto de Renda de julho do ano passado a junho deste ano. A estimativa é da CNM (Confederação Nacional dos Municípios).

 

No sudoeste

O governador Ratinho Junior é esperado esta semana em Francisco Beltrão. Dentre os anúncios que serão feitos durante a visita, são aguardadas liberações para as áreas de saúde e também infraestrutura: a assinatura da ordem de serviço das obras do Hospital Regional do Sudoeste, no valor de R$ 6,3 milhões, e R$ 4,1 milhões em investimentos para a construção do ambulatório do curso de Medicina da Unioeste – R$ 2,1 milhões viabilizados pela Assembleia Legislativa e R$ 2 milhões pela Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

 

 

Estradas de volta

Em visita na região esta semana, o chefe da Casa Civil, Guto Silva, apresentou algumas “alternativas” caso o Ministério da Infraestrutura insista no modelo híbrido para concessão das rodovias que cortam o Paraná, que limita os descontos das tarifas em 17%. Demorou, mas o governo do Estado encampou a proposta das entidades (menor tarifa, sem limite de desconto) e pode até pedir as rodovias de volta caso não haja acordo. Essa seria a melhor solução, caso o governador Ratinho Junior mantenha pretensões políticas ano que vem: peitar o governo para baixar as tarifas, assumir a concessão e fazer do jeito que os paranaenses querem ou devolver tudo ao governo federal e deixar com ele o ônus da licitação.