Informe da redação do dia 17 de janeiro de 2019

Paraná mais perto de Brasília

O governador Ratinho Junior foi convidado para almoçar com o presidente da República, Jair Bolsonaro, em Brasília, nessa quarta-feira. O encontro mostra um estreitamento dos laços entre o Paraná e o governo federal, o que Ratinho tem aproveitado para potencializar os investimentos em áreas essenciais. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, esteve no Paraná semana passada para acompanhar as comemorações de 80 anos do Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu. Semana que vem, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participará das festividades da abertura da colheita da soja, em Apucarana. E, no dia seguinte (25), o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, vem ao Paraná.

brde2

Com o governador

Por falar em aproximação… o presidente da Acit (Associação Comercial e Industrial de Toledo), Marcos Destefeni, encontrou-se ontem com o governador Ratinho Junior, acompanhado de representantes da Faciap. O objetivo foi aproximar o governador das entidades que estimulam o desenvolvimento do empresariado paranaense, a fim de discutir as principais demandas do segmento.

Gleisi protegida

A presidente do PT e senadora Gleisi Hoffmann passou a andar com segurança dentro e fora do Congresso Nacional. As informações são de Evandro Éboli, da Veja. Agora deputada eleita, Gleisi já foi alvo de hostilidades nas ruas. Outra petista, a também deputada Maria do Rosário, tomou a mesma precaução e desde as eleições de 2018 circula com um segurança do lado.

Reestruturar o PDT

O ex-senador Osmar Dias tem dito que por aí que pretende reestruturar o PDT em todo o Paraná. As informações são de Angelo Rigon, do Maringá Post: “Essa é a nossa missão. Conversar com as pessoas ligadas ao diversos setores da comunidade. Nosso partido terá mais força na próxima eleição”, afirmou. A declaração causa surpresa após a renúncia à candidatura ao governo do Estado no ano passado.

Nas mãos de Cármen

A ministra Cármen Lúcia, do STF (Supremo Tribunal Federal), atendeu ao pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) e decidiu abrir 19 inquéritos a partir das informações coletadas na delação premiada de Daniel Gonçalves Filho, primeiro delator da Operação Carne Fraca. Os inquéritos estão sob sigilo e tramitam no Supremo porque envolvem autoridades com foro privilegiado, especialmente deputados federais.

Dor de cotovelo

Sem mandato a partir do mês que vem, o senador Roberto Requião continua fazendo das suas. Agora, faz troça com a possível candidatura de Alvaro Dias à presidência do Senado. Em seu perfil no Twitter, Requião postou: “É o assunto dos bares, dos lupanares, dos sindicatos e do povo todo. Jamais uma candidatura deste porte empolgou tanto um estado inteiro. Espera-se apoio do cabo Daciolo?”. Não custa lembrar que Requião não vai votar em Alvaro nem em qualquer outro candidato.

Ratinho Junior vai almoçar com Bolsonaro

O governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) foi convidado para almoçar com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) em Brasília, hoje, 16. O Estado e o governo federal têm estreitado os laços neste começo de ano para potencializar os investimentos em áreas fundamentais.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, esteve no Paraná na semana passada para acompanhar as comemorações de 80 anos do Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu. No dia 24, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participará das festividades da abertura da colheita da soja, em Apucarana. Já o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez, virá a no dia 25.

Dor de cabeça

Menos de uma semana depois de pôr seu nome à disposição para brigar pela presidência da Câmara, o deputado federal Ricardo Barros (ex-ministro da Saúde) foi denunciado ontem pelo Ministério Público Federal por os atos de improbidade cometidos na condução de processos de compra de medicamentos para tratamento de doenças raras. Em nota, Barros lamentou que o MPF “tenha escolhido o lado errado da luta” e se defendeu dizendo que, ao quebrar o monopólio que havia, economizou R$ 5 bilhões do ministério em 22 meses.


Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação