No dia 11 de abril é comemorado o Dia do Infectologista, estabelecido pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). Os médicos nesta área da saúde são responsáveis por pesquisar, diagnosticar e tratar doenças infecciosas e parasitárias. A médica infectologista, Carla Sakuma de Oliveira, que atua há 15 anos na Uopeccan de Cascavel, explica a importância desse profissional no ambiente hospitalar, principalmente agora com a pandemia da covid-19. “O infectologista é fundamental nos hospitais especialmente no Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), contribuindo para evitar e prevenir infecções adquiridas nos serviços de saúde. Com o aumento da resistência microbiana, esse especialista é habilitado para tratar as infecções especialmente as que são obtidas nos hospitais que tendem a ser mais graves”, ressalta.

Ainda de acordo com a infectologista, a Uopeccan segue protocolos de segurança durante os atendimentos, para evitar a proliferação dessas bactérias, diminuindo riscos tanto para os profissionais de saúde e pacientes, entre eles, utilização de equipamentos de proteção individual (EPIs) apropriados e treinamentos, desta forma, a instituição obteve taxa de infecção hospitalar de 2%.  “São taxas excelentes considerando que os pacientes oncológicos são muitas vezes imunodeprimidos e apresentam um risco maior de terem infecções hospitalares. Por isso, vários protocolos são realizados com objetivos de fornecer uma internação com menor ameaça possível, desde redução do tempo de hospitalização, antibioticoprofilaxia cirúrgica adequada, inserção e manutenção de cateteres venosos e urinários, assim como prevenção de pneumonia hospitalar”.

Medidas de prevenção

Em tempos de pandemia, o médico infectologista da Uopeccan de Umuarama, Raphael Chalbaud Biscaia Hartmann ressalta que as pessoas podem fazer a diferença seguindo algumas recomendações básicas, incluindo no seu dia a dia para protegerem-se dos riscos de contaminação da covid-19. “Estamos aqui fazendo a nossa parte diuturnamente, onde tivemos várias situações que deixamos a nossa própria vida para cuidar dos outros. Manter os cuidados mínimos de higienização das mãos, distanciamento e uso de máscara, mas cobrindo nariz e boca é primordial para atravessarmos esse momento difícil”, orienta.

A Uopeccan de Umuarama é referência no tratamento de pacientes suspeitos e acometidos pela covid-19, esses cuidados estendem-se todos que fazem parte da equipe multidisciplinar para evitar o contágio do coronavírus. O infectologista Raphael, destaca que a higienização das mãos é uma simples atitude que faz diferença na prevenção e no controle das infecções. “Nós seguimos protocolos rotineiramente que são avaliados e checados para que traga conforto e comodidade no internamento dos pacientes. Durante esse processo é observado as questões higiênicas e uso dos antibióticos. Dentro da ala covid, seguimos protocolos ainda mais rígidos, fazendo uso da utilização de EPIs, essas atitudes colaboraram com os bons índices que o hospital vem alcançando”.