Governança em Alta: Com profissionais altamente qualificados, Cresol busca atender com mais eficiência demandas dos seus cooperados 

Uma das principais formas de impactar positivamente os cooperados é através da governança das cooperativas

A qualificação profissional e o investimento no capital humano têm surgido como uma das principais tendências dentro do mercado nacional. Observando o cenário das cooperativas e as necessidades específicas dos cooperados, a Cresol procura fortalecer seus mecanismos de atuação para garantir um bom relacionamento com o quadro social e atender as necessidades financeiras de seus cooperados, investindo fortemente em colaboradores que fazem parte do sistema.

Em 2017, um dos temas centrais de discussões e alinhamentos foi a Governança Corporativa, assunto amplamente trabalhado nos momentos de capacitação e em reuniões, além disso, o sistema Cresol passou por um processo de união de Singulares, e diante deste novo cenário se fez necessária a estruturação de funções entre Conselho de Administração e Diretoria Executiva, buscando garantir o crescimento sustentável de cada cooperativa e exigindo sobretudo uma nova cultura sistêmica, sendo necessária a estruturação de Política de Governança que veio contemplar os diversos eixos da administração de uma Cooperativa Cresol.

Uma das principais formas de impactar positivamente os cooperados é através da governança das cooperativas, levando aos cooperados a conhecerem na prática a importância de valores como democracia, transparência e ética. O objetivo é consolidar ainda mais a missão dentro do sistema.

Assim, a Cresol teve um avanço significativo na formatação de políticas, resoluções e regulamentos vinculados à Legislação Brasileira, buscando a especialização das áreas, reduzindo custos operacionais e viabilizando ganhos de escala e intercooperação.

O treinamento e a capacitação profissional também receberam enormes investimentos por meio de processos de formação e desenvolvimento de competências focados no fortalecimento institucional, resultado econômico, organização das agências e clareza dos distintos papéis.

Neste sentido, destacam-se os programas: Encontros Técnicos de Gerentes e Presidentes; Programa de Boas Práticas Cresol; Formação continuada de colaboradores; Gercoop (Gerenciamento de Cooperativas de Crédito); Investimento em MBAs e Pós-Graduação; Intercâmbios nacionais e internacionais.

E, por fim, a atuação permanente de formação em diversos programas institucionais com os cooperados; assim como, a adequação do formato de organização em rede das Cooperativas Cresol, buscando a unificação de cooperativas com foco no ganho de escala e fortalecimento das agências de relacionamento com o cooperado.

Com a palavra: O Superintendente

A Cresol figura entre os maiores sistemas de crédito cooperativo do Brasil, sendo referência nacional e internacional. Com mais de 500 mil famílias cooperadas e presente em 17 estados, a Cresol se fortaleceu e hoje representa solidez e a segurança de uma marca. Confira a seguir a entrevista com o Superintendente da Cresol Baser, Adriano Michelon, sobre a política de governança do Sistema Cresol e suas principais características:

 O que significa a união de Singulares que vem acontecendo dentro do Sistema Cresol?

Significa otimizar estruturas administrativas, ganhar escala e promover um processo com o objetivo de ter cooperativas mais fortalecidas nas regiões onde a Cresol atua, podendo, inclusive, ter estruturas unificadas, com o mesmo desempenho praticado em diversas agências, isso ganha uma situação de unificação de processos e uma ação mais sistêmica de acordo com as necessidades focadas em cada região.

 Como funciona a Governança Corporativa da Cresol?

A Cresol adota a metodologia de governança semelhante ao praticado nas demais estruturas. Há um sistema que divide a atuação estratégica e política feita pelos representantes eleitos pelos cooperados ou pelos cooperados e há também um processo de gestão tática operacional e mais técnica, que é realizado pelos executivos que são eleitos pelo conselho de administração.

 Quando a Cresol começou a adotar uma política de Governança Corporativa?

Nesse formato, de acordo como está sendo praticado, se iniciou há, aproximadamente, 18 meses, porém, sempre existiu uma governança na Cresol, mas não com um alinhamento estabelecido conforme previu a Resolução 4434, do ano de 2015, pelo Banco Central. Antes existia uma única composição de formação de uma diretoria, formada pelos conselheiros eleitos que tinham na sua subordinação técnicos que eram denominados assessores, entretanto, com a resolução se deu uma incrementada no formato de estabelecer a governança com ações estratégicas e táticas separadas de forma mais definidas.

 Quais são as vantagens desse processo?

As vantagens são a profissionalização e qualificação dos processos estratégicos, feito de uma forma política com maior presença junto aos parceiros, construindo um maior relacionamento, inclusive, com os cooperados, e, tecnicamente, uma gestão mais profissionalizada com pessoas com competências, formação e conhecimento técnico para exercer as funções que lhe são atribuídas.



Fale com a Redação

dez + quinze =