Misael e a extorsão

Alvo de denúncia protocolada na Câmara (veja na página 5), Misael Júnior (PSC) revelou ontem que há 35 dias sofreu uma tentativa de extorsão. Recebeu no gabinete um homem que informou ter recebido proposta de apresentar a denúncia sobre a suposta irregularidade de envolvimento do parlamentar na empresa da família que possui contratos com o Paço. A oferta recebida pelo desconhecido por um “grupo” foi de até R$ 6 mil, segundo Misael, para prejudicar seu mandato. Misael sugere que opositores estariam por trás da tal denúncia e agora quer saber o envolvimento do homem que lhe pediu dinheiro para não registrar o caso na Câmara com a denunciante.

Gabinete grampeado

Depois da denúncia protocolada na Câmara, o vereador Misael confirmou que tem uma carta na manga. Ele gravou a conversa com o homem que lhe procurou alertando que faria a denúncia. São oito minutos e meio de gravação, não divulgada pelo parlamentar. Mas quem frequenta o gabinete ficou de cabelos arrepiados: também foi grampeado? O vereador diz que essa não é uma prática adotada por ele. “Comecei a gravar depois de 15 minutos de conversa, quando vi que era um instrumento de defesa, a ser usado agora”.

Bolsonaro apoiado

Os defensores das políticas implantadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) prometem ir às ruas neste domingo, a partir das 15h. Eles se mobilizam pelas redes sociais para colocar Cascavel entre as cidades que farão a manifestação nacional. Eles querem a cobrança de impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal e apoio à Operação Lava Jato. A concentração será em frente à Catedral Nossa Senhora Aparecida.

Adesão política

Diante da situação política do País, partidos menores e que enfrentaram grande resistência na última eleição nacional/estadual já vislumbram um cenário difícil para ocupar espaços de representatividade. Paulo Porto (PCdoB) vem articulando discussões propondo justamente a união de quem pensa da mesma maneira e tem os mesmos propósitos, por isso, defende uma ampla frente popular com sindicatos e associações. “Teremos grandes desafios que precisaremos enfrentar em 2020”.

Mais tempo

Com as alterações do novo projeto encaminhado pelo Paço para regulamentar o transporte de passageiros por aplicativos, a Comissão de Justiça e Redação pediu mais prazo à Mesa Diretora. O texto é polêmico e enfrenta resistência. O vereador Rafael Brugnerotto (PSB) foi quem solicitou mais tempo para verificar todos os pontos da matéria que já está desde julho na Casa.