Durante todo o mês de junho, vários estabelecimentos turísticos de Foz do Iguaçu estão iluminados por luzes verdes, em comemoração ao Mês do Meio Ambiente. A ação integra o movimento Junho Verde, que está inserido na campanha Paraná Mais Limpo, desenvolvida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, em parceria com o Instituto Água e Terra (IAT) e Grupo R20.

A proposta da campanha é desafiar os municípios para que, neste mês, incentivem a população a promover a limpeza de terrenos e publique na internet o antes e o depois com a hashtag #ParanáMaisLimpo.

A iluminação diferenciada em Foz é adotada desde 2018 e foi proposta pelos idealizadores do Movimento Junho Verde, do Festival das Cataratas, a Feira de Turismo e Negócios que acontece anualmente na cidade.

O projeto envolve diversas ações socioambientais implementadas no mercado de turismo. O objetivo é criar mecanismos para causar impactos positivos na sociedade, aproveitando o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho. A ideia foi lançada com a assinatura de uma carta de compromisso, em que as empresas participantes assumiram a responsabilidade de adotar medidas de sustentabilidade nos seus negócios.

O Paraná Mais Limpo e o Movimento Junho Verde de Foz do Iguaçu vêm ao encontro da campanha aprovada pelo Senado, que prevê iniciativas do governo federal, estados e municípios para ampliar o conhecimento da população sobre a importância de conservar ecossistemas, controlar a poluição e a degradação dos recursos naturais.

Segundo o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, o governo estadual está mobilizando o paranaense por meio das instituições para reforçar a cultura de preservação ambiental. “O Paraná é um dos estados que mais preserva. Tem 29,17% do seu território composto por vegetação nativa e precisamos manter viva essa consciência no dia a dia do paranaense”, disse Nunes, ressaltando que é possível aliar o turismo com preservação ambiental, crescimento econômico e políticas sociais.

EM FOZ – Em Foz do Iguaçu, o projeto iniciou em 2018, pelo Instituto para o Desenvolvimento do Turismo e Projetos Estratégicos (Idestur). Entre outras ações, os organizadores da Feira de Turismo e Negócios realizam a compensação de carbono das caravanas que participam do evento, com cálculo do combustível gasto no deslocamento até o local e da quantidade de papel que o público leva para casa.

Além da compensação de carbono, o Junho Verde também envolve atividades socioambientais como recuperação de nascentes e confecção de folhetaria, canetas e bolsas com materiais reciclados, como papel usado e garrafas PET. O projeto, em parceria com universidades da cidade, ainda desenvolve várias ações junto a comunidade.

Em menos de três anos, 20 empresas assinaram a Carta de Compromisso do Junho Verde em Foz do Iguaçu. Os impactos positivos, entre outros, resultaram na distribuição de 6 mil mudas de árvores, duas toneladas de resíduos destinadas para reciclagem, confecção de 50 mil bolsas distribuídas para participantes do Festival das Cataratas; 50 quilos de material gráfico confeccionado com recicláveis e na geração de 30 empregos diretos e 200 indiretos.

“Sabendo que o turismo é uma atividade que depende do meio em que está inserido, devemos satisfazer as nossas necessidades do presente e conservar o que temos hoje para que as futuras gerações possam usufruir dos nossos mesmos benefícios”, disse Caroliny Matinc, diretora Ambiental do Idestur, apoiador do Festival das Cataratas.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Foz do Iguaçu, Universidade das Américas (Uniamérica) e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) apoiam o Movimento Junho Verde. O município também aderiu à campanha Paraná Mais Limpo com diversas ações, como recuperação de margens de rios, recolhimento de resíduos em terrenos, com o apoio da comunidade.