Foz do Iguaçu – Um projeto do arquiteto e urbanista Jaime Lerner, ainda como governador em 1993, pode ser agora viabilizado com as novas tratativas da Prefeitura de Foz do Iguaçu com a Secretaria do Patrimônio da União. Trata-se da área que abriga o 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado entre as avenidas República Argentina, Juscelino Kubistchek, Paraná e Duque de Caxias.

Lerner projetou implantar na área de mais de 1,2 milhão de metros quadrados – maior parte ocupada por mata nativa – uma espécie de Central Park (Parque Batalhão) com uso de parte das instalações do exército para centros de estudos e pesquisas e museus. Os próprios do batalhão no local poderão também ser tombados como patrimônio histórico da cidade.

“Está evoluindo a discussão para ocupação de alguma forma da área do exército para uma atividade que interessa à sociedade de Foz do Iguaçu e para o desenvolvimento sustentável”, disse o deputado Ricardo Barros, líder do Governo na Câmara dos Deputados.

“É mais uma ação que estamos desenvolvendo para favorecer a cidade Foz do Iguaçu, que é uma cidade referência para todo país o segundo maior polo de turismo do Brasil”, completou, em entrevista à Rádio Cultura.

 

Centro Cívico

Barros marcou uma audiência do prefeito Chico Brasileiro com o secretário do Patrimônio da União, Mauro Benedito Santana Filho, que tratou dessa, entre outras questões, de ceder outra área da União, de 133 mil metros quadrados na BR-277, próximo às Avenidas Paraná e José Maria de Brito, para abrigar as novas sedes da prefeitura e da Câmara de Vereadores, entre outros órgãos. A meta é a transferência de 100% dos imóveis da União em Foz para o Município.

A transferência do 34º BIMec do Centro de Foz do Iguaçu é um pleito histórico, que deve proteger a mata e a nascente do Arroio Monjolo. “Articular a utilização dessa área de alguma forma que atenda também o interesse da cidade. Talvez também não seja toda essa área. Estamos começando a conversa, mas estamos conversando e quando eu pego uma tarefa você já sabe, né? É para resolver”, disse Barros.

A sede do 34º BIMec ocupa uma área de 118 hectares no centro da cidade, dois terços deles de mata nativa. O Exército também possui outra área na cidade, na BR-469, próximo ao Rio Tamanduá, onde são feitos os treinamentos militares.