Fique em casa!

Neste fim de semana, as capas dos jornais filiados à Associação dos Diários do Interior - Paraná (ADI-PR) são rigorosamente as mesmas. Todos os veículos se uniram em prol da vida e contra o coronavírus, numa campanha similar à que aconteceu na Argentina. Leia nosso Editorial de hoje e entenda.

Neste fim de semana, as capas dos jornais filiados à Associação dos Diários do Interior – Paraná (ADI-PR) são rigorosamente as mesmas. Todos os veículos se uniram em prol da vida e contra o coronavírus, numa campanha similar à que aconteceu na Argentina. O objetivo é tentar conscientizar as pessoas sobre a importância de respeitar as regras sanitárias impostas para que essa pandemia do coronavírus possa se dissipar o quanto antes. São milhares de pessoas atingidas pelos jornais filiados à ADI-PR que, com esta campanha, demonstra estar preocupada com a sociedade em geral e não apenas com seus próprios interesses.

Essa é uma forma da entidade demonstrar também sua responsabilidade social, algo que desde o início de sua história sempre ficou claro. É uma marca da ADI-PR que, desde o início desse novo problema, tem procurado manter nossos leitores o mais bem informado possível, seja através das versões impressas, das redes sociais ou dos sites dos nossos associados. Nessas horas a informação apurada e com responsabilidade pode fazer uma diferença enorme na vida das pessoas e é com esse pensamento que temos mantido o trabalho diário.

A ideia de unificar as capas é também uma forma de pedir às pessoas que se conscientizem sobre o perigo que uma pandemia como essa pode acarretar se as medidas solicitadas pelas autoridades competentes não forem seguidas à risca. No caso do coronavírus, embora cerca de 80% dos afetados pela doença não apresentem sintomas diferentes de uma gripe, ainda assim restam 20% que, sim, podem até mesmo morrer em decorrência de uma doença silenciosa e para a qual nenhum país estava preparado para enfrentá-la na proporção atingida. As mortes em larga escala, principalmente na Itália e na China, demonstram claramente isso.

Não se trata de alarmismo exagerado, mas de tentar despertar na sociedade o senso de urgência pelo bom senso e pelo respeito às regras, algo que infelizmente o cidadão brasileiro insiste em não executar, trazendo prejuízos não apenas econômicos.

Neste momento, o confinamento é a solução mais adequada para superar uma crise em que todos os dias há um novo aprendizado e é preciso também ter a sabedoria de superar um momento inédito em termos de saúde pública. Fique em casa que ele, o coronavírus, vai embora o quanto antes para que todos possam retomar a rotina noticiada em todo o Estado através dos integrantes da ADI-PR.

 



Fale com a Redação

doze + dezenove =