Falta de chuva ameaça agora área de soja que foi replantada

As áreas com maior replantio ficam em Missal, Itaipulândia, Nova Aurora e Cascavel.

Reportagem: Cláudia Neis

ACIC OUTUBRO 2020

Cascavel – Os agricultores que replantaram as áreas em que a soja não germinou devido à falta de chuva voltam a olhar para o céu com preocupação. “Na regional de Cascavel foram replantados cerca de 13 mil hectares de soja, cerca de 2,5% das lavouras. O replantio foi finalizado semana passada para que a colheita não sofra ainda mais atrasos, mas a preocupação agora é novamente com a chuva. Sem umidade, as sementes não germinam”, alerta a economista Jovir Esser, do Deral (Departamento de Economia Rural) da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento).

“Mesmo tendo áreas em que o número de plantas por metro quadrado não é o ideal, pelo período em que regularizou a chuva, em muitas áreas o produtor fez a opção em não replantar porque atrasaria a colheita da soja e o plantio da safrinha”.

As áreas com maior replantio ficam em Missal, Itaipulândia, Nova Aurora e Cascavel.

A área cultivada com soja plantada nos 28 municípios que compreendem o Núcleo de Cascavel é de 532 mil hectares, com previsão inicial de colher 1,9 milhão de toneladas. Foram cultivados 19 mil hectares de milho, com previsão de produção de 209 mil toneladas.

 Sem chuva

A previsão do Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná) não traz muito alívio ao homem do campo. Para a região de Cascavel está prevista chuva significativa, de cerca de 27 milímetros, apenas para a próxima terça-feira (26). Até lá existe a probabilidade de pancadas isoladas, mas em baixos volumes. Para garantir a germinação da semente são necessários pelo menos 20 milímetros.


brde1

Receba as principais notícias através do WhatsApp

ENTRAR NO GRUPO

Lembre-se: as regras de privacidade dos grupos são definidas pelo Whatsapp. Ao entrar seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.


Fale com a Redação