Estaduais colocam Paraná em 5º lugar em pesquisa

Nos últimos 24 meses, foram produzidas 5.735 dissertações de mestrados e teses de doutorados

A produção acadêmica das sete universidades pertencentes ao governo estadual é um dos pilares para o Paraná estar entre os estados brasileiros que mais produzem ciência e inovação, colaborando para elevar a produção científica do País. Levantamento realizado neste mês de maio nas sete universidades estaduais demonstra que nos últimos dois anos foram concluídas 5.735 dissertações de mestrados e teses de doutorados.

A produção é considerada robusta, fruto da pesquisa realizada nos programas de pós-graduação oferecidos pelas instituições. O levantamento também apontou a existência de 198 mestrados e 92 doutorados oferecidos nas várias áreas do conhecimento.

O impacto dessa produção acadêmica foi evidenciado em detalhes no último relatório “Research in Brazil”, produzido pela equipe de analistas da Clarivate Analytics para a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), em 2016, e que colocou o Paraná na quinta posição brasileira do setor, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

O superintendente de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Aldo Bona, afirma que o sistema estadual tem papel destacado no resultado obtido pelo Paraná. “Importante considerar que grande parte da produção científica nacional ocorre nos Programas de Pós-graduação. No caso do Paraná, o sistema estadual responde por mais de 60% de toda a produção strictu sensu, com foco no interior do estado. Por conta disso os resultados de produção acadêmica destes programas contribuíram e muito para elevar os índices obtidos pelo estado”, afirma.

Censo de ensino

O documento apontou que a pesquisa nacional teve forte impulso nas últimas três décadas, a partir de metas de investimento em pesquisa, em inglês Gross Domestic Expenditure on Research and Development (GERD). O Brasil é hoje o 13º maior produtor de publicações de pesquisa (papers), com destaque para áreas como meio ambiente, psiquiatria, psicologia e matemática.

No Paraná, o número de estudantes matriculados nas sete instituições estaduais de ensino superior espelha essa realidade. O Censo do Ensino Superior 2018, divulgado pela Superintendência de Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, demonstrou que o sistema abriga 75.606 estudantes de graduação, em 388 cursos distribuídos em todas as regiões, capital e interior paranaenses. Os mais de 190 mestrados disponíveis somam 7058 pesquisadores enquanto os mais de 90 doutorados reúnem 2.927 matriculados.

Fundação Araucária destinou quase R$ 70 milhões a bolsas, projetos e programas

Nos últimos 24 meses, a Fundação Araucária investiu R$ 69,98 milhões nos editais que fomentam a pesquisa nas universidades e em institutos paranaenses, totalizando aproximadamente 6 mil bolsas de estudos em 327 projetos e programas.

Na avaliação do diretor científico Luiz Márcio Spinosa, os recursos foram fundamentais para apoiar o ensino, a pesquisa e a extensão no sistema estadual. Segundo ele, a Fundação Araucária é a quinta maior instituição estadual de fomento e apoio à pesquisa no País.

“Sem esses recursos receio que a verticalização do ensino superior, a produção técnica e científica e a disseminação do conhecimento estariam seriamente comprometidos. Cabe lembrar que nossos editais, além de permitirem financiar estas atividades, possibilitam, ao mesmo tempo, captar recursos da esfera federal e de empresas privadas”, comenta o diretor.

Ele acredita que as pesquisas produzem o principal insumo na economia regional, que é o conhecimento. “Neste sentido o Paraná tem uma situação que o diferencia de outros estados. Temos um sistema consolidado e bem distribuído, favorecendo o desenvolvimento. A atual gestão do governo percebeu esse cenário e fez a opção estratégica de promover o Estado por meio da inovação que passou a ser um dos principais pilares para nosso desenvolvimento nos próximos anos. O resultado esperado é maior geração de riqueza, emprego e renda, e maior qualidade de vida.”

Produção acadêmica universidades paranaenses (2017/2018)

 

UNESPAR

10 mestrados

58 dissertações

 

UNIOESTE

37 mestrados

1.057 dissertações

17 doutorados

102 teses

 

UENP

5 mestrados

107 dissertações

1 doutorado

 

UEM

56 mestrados

1.439 dissertações

28 doutorados

583 teses

 

UNICENTRO

17 mestrados

261 dissertações

6 doutorados

45 teses

 

UEPG

26 mestrados

611 dissertações e teses

10 doutorados

 

UEL

47 mestrados

1.090 dissertações

30 doutorados

372 teses

 

 

Outros números

Bolsas: 4.298

Projetos de Pesquisa: 741

Eventos Científicos: 31

Periódicos Científicos: 18

Bolsas de Iniciação Científica: 1.744

Bolsas de Iniciação Tecnológica e Industrial: 322

Bolsas de Produtividade em Pesquisa e Tecnologia: 951

 

Universidade Estadual de Maringá – UEM

Bolsas: 763

Projetos: 101

Eventos: 4

Visitantes: 1

Periódicos: 7

 

Universidade Estadual de Londrina – UEL

Bolsas: 574

Projetos: 67

Eventos: 7

Periódicos: 1

 

Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG

Bolsas: 247

Projetos: 32

 

Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE

Bolsas: 214

Projetos: 36

Eventos: 1

 

Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO

Bolsas: 131

Projetos: 26

Eventos: 1

 

Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP

Jacarezinho

Bolsas: 40

Projetos: 3

 

Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR

Paranavaí

Bolsas: 25

Projetos: 5

 

 



Fale com a Redação

dezessete + doze =