COTIDIANO

Estado lança rede de pesquisa para avaliar mudanças climáticas no Paraná

08 de junho de 2022 às 10:41
Publicidade

A Fundação Araucária e a Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) lançaram nesta semana o Napi Emergência Climática, em evento online. A iniciativa tem como propósito avaliar como as mudanças climáticas afetarão a população do  Paraná, por meio de uma investigação abrangente sobre componentes ambientais, econômicos e sociais. Ela também vai fornecer ao Governo informações científicas que subsidiem a tomada de decisão para o enfrentamento da crise. A cerimônia contou com a participação de aproximadamente 100 pessoas.

“O Napi Emergência Climática surgiu de uma solicitação da própria comunidade científica, que é extremamente importante para nos direcionar sobre as principais necessidades e onde aplicar de forma adequada e efetiva os recursos públicos”, disse o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

Os estudos e projetos terão como objetivo principal a quantificação dos impactos e a redução dos riscos às bases ecológicas da vida, e também com relação às atividades econômicas e sociais em face da diferenciada vulnerabilidade socioambiental e da necessária prevenção aos impactos das mudanças climáticas globais.

“Esse Napi vai desenvolver estudos e projetos de tecnologia e inovação visando avaliar o impacto das mudanças climáticas no Paraná e promover a mitigação da emissão de gases e aerossóis atrelados ao efeito estufa provenientes de atividades urbano-industriais e agropecuárias”, disse o professor Francisco de Assis Mendonça, da UFPR e coordenador do Napi.

Segundo o diretor científico, tecnológico e de inovação da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, essa ação prioriza ainda o desenvolvimento de um ambiente de inovação nacional e internacionalmente reconhecido como um dos melhores para a criação de riqueza e bem-estar na América Latina. “Possui potencial relevante para aumento de competitividade do Estado, em particular associado aos requisitos de desenvolvimento sustentável mantido por vários parceiros comerciais, ampliando as chances de geração de riqueza e qualidade de vida”, disse.

O trabalho proposto apresentará, ainda, medidas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas com base em Soluções Baseadas na Natureza (SbN), oriundas de importante rede de competências e institucional propiciada pelo Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Paraná. Há igualmente potencial importante para geração de conhecimento útil para a formulação de políticas públicas inéditas.

De acordo com o coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Marcos Aurélio Pelegrina, este é o segundo Napi com mais integrantes, e, além de promover a especialização inteligente, também fornece atenção à espacialização, por contar com pesquisadores especialistas no assunto espalhados por todo o Estado. “As nossas universidades já desenvolvem um amplo trabalho envolvendo emergências climáticas e esse Napi vem coroar todo esse estudo”, destacou.

AEN

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE