DENGUE HEMORRÁGICA: Duas pacientes são monitoradas em Cascavel

A confirmação para dengue só ocorrerá com o resultado dos testes na próxima semana.

A Secretaria de Saúde de Cascavel informou nesta sexta-feira (7) que foram transferidas hoje para o HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná) duas pacientes que estavam na UPA Brasília com suspeita de dengue hemorrágica.

A Secretaria de Saúde confirmou os dois casos suspeitos de dengue com sinais alarme (Dengue hemorrágica) em Cascavel. As pacientes, uma de 16 anos e outra de 22 anos, receberam atendimento na UPA Brasília, uma com entrada em 04/02 e outra em 05/02. No entanto, o quadro clínico delas se agravou nesta sexta-feira (7), sendo necessária a transferência para rede hospitalar. As pacientes foram encaminhadas para o HUOP (Hospital Universitário do Oeste do Paraná)

Os dois casos ainda são considerados suspeitos. Amostras de sangue estão sendo coletadas para envio ao Lacen (Laboratório Central do Estado do Paraná). Por se tratar de dengue com sinais de alarme, há necessidade de envio de amostra ao laboratório de referência, não sendo confirmado apenas com teste rápido. A confirmação para dengue com sinais alarme só ocorrerá com o resultado dos testes na próxima semana.

Dengue hemorrágica 

Além dos sinais clássicos da dengue (febre, cefaléia, dor retro-orbital, mialgia), o paciente pode apresentar: queda abrupta de plaquetas, dor abdominal intensa, vômitos persistentes, sangramento de mucosas ou outras hemorragias, letargia ou irritabilidade, hipotensão postural.

No caso, as pacientes apresentaram queda abrupta de plaquetas, hipotensão postural e dor abdominal, além dos sintomas clássicos.

Conforme os dados do boletim epidemiológico do Estado do Paraná, Cascavel contabiliza de julho de 2019 até agora, 652 casos notificados. Desses, 355 foram descartados, 264 ainda estão em análise e 43 casos confirmados de dengue. Esse quadro coloca o Município numa posição preocupante, com um alto risco para epidemia, considerando o índice de infestação de 5,2% do LIRAa (Levantamento de índice Rápido Amostral por Aedes aegypti) e as condições climáticas.

OBS: Segundo a Secretaria de Saúde, não se usa mais o termo Dengue hemorrágica, mas dengue com sinais alarme ou dengue grave.

*Matéria atualizada às 17h17.



Fale com a Redação

vinte − treze =