A demanda diária de ocorrências atendidas em domicílio ou de transferências realizadas pelo Samu Oeste, envolvendo pacientes com sintomas de covid 19, tem diminuido desde o dia 20 de setembro. Antes desta data, o número de atendimentos chegou a picos de 35 ocorrências a cada período de 24 horas (o ápice foi em maio, com média diária de 40), ao passo em que na última medição, feita nesta quarta-feira (6), a quantidade foi de 19 chamadas.
De acordo com o doutor Rodrigo Nicácio, diretor Médico do Samu Oeste, a tendência de redução é consistente. “A queda mostra-se com a maior inclinação da série histórica e se consolida no dia a dia. É o menor patamar verificado em 2021 e se assemelha ao início da pandemia”, destaca.
Todavia, adverte ele, os números positivos não são motivo para relaxamento nas medidas protetivas, como distanciamento social, higienização de mãos e uso de máscara. “Apesar dos dados otimistas do momento, a pandemia ainda não acabou”, relata.