Cascavel – A Defesa Civil de Cascavel alerta a população para que promova medidas de contenção do consumo de água e cuidados necessários, por conta da crise hídrica que se prolonga nos últimos três anos, considerada a maior estiagem dos últimos 98 anos no Paraná.

O coordenador da Defesa Civil, Marcio Ribeiro, explica que a crise hídrica traz reflexos nas mais diferentes áreas como agricultura, pecuária, alimentação, energia elétrica e impacta diretamente a vida de todas as pessoas.

“A população deve fazer uso racional e inteligente do consumo de água, evitar desperdícios. Evitar lavar calçadas, veículos, não deixar as torneiras abertas enquanto escovam os dentes ou aparam a barba. São exemplos práticos do uso racional da água em tempos de crise. Os reservatórios estão com o volume de água abaixo do normal e todos podem contribuir para juntos superarmos a crise hídrica”, explica Marcio.

 

Emergência

O Município de Cascavel emitiu Decreto de Situação de Emergência em decorrência da crise hídrica e da estiagem prolongada. Com a publicação do decreto, homologado pelo Estado do Paraná, Cascavel fica apto a solicitar apoio e captar recursos no âmbito estadual e federal.

O Município poderá solicitar à Seab (Secretaria Estadual de Abastecimento) e ao Ministério de Desenvolvimento Regional recursos para construção de poços artesianos e envio de caminhões pipas às localidades que precisarem.

 

O que o decreto de situação de emergência possibilita?

 

Setor privado

Agricultores e pecuaristas que sofreram perdas de mais de 30% nas lavouras conseguirem:

– Prorrogação de prazos – parcelamento de dívidas – novos financiamentos com juros mais baixos, ou seja, pagar as dívidas e continuar plantando para garantir o abastecimento.

 

 

Poder público

Além das ações que são feitas diariamente, agora o poder público irá desenvolver políticas públicas de atendimento no campo e na cidade para enfrentar a crise hídrica.

 

Perfuração de poços, caminhões pipa, implantação de sistemas de redes de distribuição, bolsões de água podem ser entregue às comunidades, caso necessário.