EDUCAÇÃO

Curso de Perícia Criminal reúne a Saúde e o Direito

20 de junho de 2019 às 13:00
Perito da Criminalística da Polícia Civil, biomédico Thiago Massuda ministra curso
Publicidade

Área que chama a atenção de profissionais do Direito e da Saúde, o perito criminal tem sido cada vez mais necessário nas questões relacionadas à segurança pública. Com o intuito de aprofundar sobre a prática, responsabilidades e desafios, a Universidade Paranaense – Unipar realizou em Cascavel curso de extensão na área Pericial, em parceria com o Instituto Honorum, de Curitiba.

O sábado foi todo de aprendizado. O objetivo foi abordar a perícia de local de crime, papel do perito no local de crime e condutas no sentido de auxiliar a investigação criminal.

O perito da Criminalística da Polícia Civil do PR, biomédico Thiago Massuda, conduziu a aula, falando sobre diligências no sentido de buscar provas materiais, tentar identificar o autor do crime, como cometeu o crime, qual instrumento/arma ele usou. “Essa investigação vai subsidiar tanto o inquérito policial quanto a ação penal, para conseguir a condenação depois”, justificou.

Estudantes da Unipar e egressos participaram. Incentivando seus alunos, o coordenador do curso de Biomedicina, professor Raphael Sahd, observa que a perícia criminal é uma das áreas de atuação do profissional biomédico. “Especificamente, não se trata de uma habilitação da profissão biomédica, mas de uma carreira de Estado. Para atuar nas polícias científicas é preciso ser aprovado num concurso público e frequentar um curso de formação em criminalística na academia de Polícia”, explica.

O docente complementa que algumas disciplinas do curso de Biomedicina, como genética humana, biologia molecular e biotecnologia, preparam o aluno para atuar na área de identificação humana, favorecendo os conhecimentos para exercer a perícia criminal ou tornar-se assistente técnico, por meio de pós-graduação em perícia forense.

No trabalho de um perito criminal qualquer detalhe pode fazer a diferença na materialização de um fato e na identificação do autor do delito, sendo que, cada particularidade deve estar cientificamente provada e fundamentada no laudo pericial.

Conforme o CRBM (Conselho Regional de Biomedicina) 3ª região, devido à formação, o profissional biomédico leva vantagem para atuar como perito criminal, podendo seguir em diversas áreas – perícia em local de morte violenta, laboratórios de toxicologia, DNA, biologia forense e meio ambiente.

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE