Assembleia marcada para as 19h desta terça-feira (7) vai definir se os funcionários dos Correios em Cascavel aderem ou não à paralisação nacional, que começa às 22h de hoje em boa parte do País.

De acordo com um dos representantes do Sintcom (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Paraná), Ezequiel Dutra, a expectativa é de que os servidores – especialmente dos setores operacionais e de atendimento – deliberem pela greve.

“Estima-se que 80% dos funcionários queiram aderir ao movimento a partir desta terça, que agora vem com bastante força, já que muitos de nossos direitos garantidos ainda em 1989 podem ser retirados”, explica.

Caso a greve seja aprovada, eles param por tempo indeterminado os serviços de separação e distribuição domiciliar de correspondências.

o sindicato, a categoria não aceita o reajuste salarial proposto pela estatal, com aumento de 2,21%, enquanto os empregados pedem ao menos 5%, mais de R$ 300 a mais todos os meses. Eles também querem manter o plano de saúde como está e incluir sete exames obrigatórios.

Além disso, os funcionários reivindicam a redução de seis para três dias de acompanhamento de dependentes em consultas médicas, o fim da obrigatoriedade na implantação da entrega noturna, a exclusão do vale-cultura – hoje a um custo de R$ 50 -, a implantação de ponto eletrônico sem impressão de comprovante, o pagamento de vale-refeição por dias efetivamente trabalhados e nas férias.