Insatisfação com o tamanho ou o formato do nariz é muito comum, seja entre homens ou mulheres; por esse motivo, a rinoplastia é um dos procedimentos mais requisitados no Brasil.

Muitas pessoas que desejam realizar a cirurgia, no entanto, também se preocupam com o pós-operatório, que, apesar de indolor, geralmente causa edemas e hematomas temporários. “Apesar de não poder ser evitado, o inchaço nasal pode ser minimizado com os cuidados corretos. Cirurgias nas quais são realizadas fraturas no osso nasal costumam resultar em um inchaço um pouco maior. Pode haver também roxidão na região das pálpebras inferiores”, explica Paolo Rubez, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e especialista em Rinoplastia Estética e Reparadora.

Além disso, o inchaço pós-rinoplastia pode causar dificuldades na respiração, porém, isso tende a melhorar após as primeiras semanas. “O paciente pode voltar ao trabalho depois de aproximadamente 10 a 14 dias e realizar atividades mais pesadas após quatro semanas. Os resultados do procedimento aparecem conforme o inchaço diminui e as cicatrizes desaparecem”, completa.

Respeitar as indicações médicas para o pré e o pós-operatório é essencial para que as chances de complicação e piora do edema sejam menores. No entanto, é necessário destacar que o edema é normal após uma cirurgia plástica, sendo impossível evitá-lo completamente.

Segundo o médico, outros fatores podem influenciar na intensidade e na duração do inchaço: “O edema varia de pessoa para pessoa. Por exemplo, pacientes com pele grossa e muito oleosa tendem a ter inchaços maiores e que geralmente levam mais tempo para desaparecer”.

Como cuidar do inchaço

Os cuidados para o sucesso da rinoplastia devem ter início antes mesmo da cirurgia e continuar no pós-operatório para que o procedimento seja bem-sucedido e os resultados atendam melhor às expectativas do paciente.

É indispensável que, nas consultas anteriores à marcação da cirurgia, o médico saiba todos os medicamentos e os suplementos que o paciente faz uso, sejam contínuos ou não. “Essa etapa é muito importante, pois alguns remédios contêm substâncias que podem prejudicar a cicatrização. Outro caso são os medicamentos que aumentam o sangramento durante a cirurgia. Lembre-se de fazer uma lista completa e entregar ao seu médico”, enfatiza o cirurgião Paolo Rubez.

O médico passará uma série de instruções e exames para a preparação da cirurgia, além dos cuidados de recuperação que devem ser seguidos à risca pelo paciente.

Entre os cuidados que devem ser recomendados está a alimentação saudável. Isso porque alguns nutrientes contribuem para uma recuperação mais rápida e para o controle do inchaço. “Invista em frutas e legumes ricos em fibras, pois eles ajudam no bom funcionamento intestinal, reduzindo as chances de prisão de ventre causada pelas medicações. No pós-operatório, principalmente, reduza o consumo de sódio e evite alimentos muito quentes nos primeiros dias após a cirurgia, pois fazem aumentar os edemas e facilitam sangramentos. Beber muita água para manter-se hidratado também é essencial”, completa o médico.

Álcool e cigarro nem pensar! Ambos são vilões da recuperação e da cicatrização, portanto, corte esses dois componentes já nas semanas anteriores à cirurgia caso queira uma boa recuperação. Por fim, dê prioridade a um repouso adequado. “Ficar com a cabeça elevada nos primeiros dias pós-cirurgia ajuda a melhorar o edema. Compressas frias também podem ser benéficas”, finaliza Paolo Rubez.

 

Fonte: http://drpaolorubez.com.br/